quinta-feira, 10 de novembro de 2022

Vacinação será desafio e prioridade do novo governo, diz Alexandre Padilha

 Deputado federal pelo PT de SP e ex-ministro integra o grupo que vai fazer o diagnóstico da área da saúde para o novo governo Lula

O deputado Alexandre Padilha (PT-SP), um dos integrantes do grupo que vai discutir soluções para a saúde durante o governo de transição, disse nesta quarta-feira que uma das prioridades será recuperar a cobertura de vacinação no país. "O Zé Gotinha vai voltar e vai ser respeitado pelo presidente e pelo próximo ministro da Saúde", disse.

A primeira reunião da equipe da saúde está marcada para esta quinta-feira no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, sede do governo de transição. Segundo Padilha, a meta da equipe vai ser produzir um diagnóstico detalhado dos gargalos no país. "Vamos dialogar com outros especialistas, com estados e municípios, para fazer um bom diagnóstico da gravidade da situação da saúde no país para que o governo que assume a partir de 2023 possa tomar as medidas, o mais rápido possível, para a gente recuperar a vacinação, reduzir o tempo de espera em filas por cirurgias, voltar a ter médicos para a população e voltar a ter medicamentos", afirmou.

Padilha é médico e foi ministro da Saúde no primeiro governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), entre 2011 e 2014. Ele participa do governo de transição ao lado de nomes como o senador Humberto Costa (PT-PE) e o ex-ministro José Gomes Temporão.

O médico infectologista David Uip também faria parte do time, mas acabou recusando o convite por motivos pessoais. "Inclusive, quero me solidarizar com o Uip. Ele não aceitou por problemas estritamente pessoais, mas deixou claro que vai colaborar", disse Padilha.

O ex-ministro também comentou que o relatório da CPI da Covid, finalizada em outubro de 2021, deve ser usado pela equipe de transição como uma ferramenta para construir políticas para a área da Saúde. "Eu sinto um movimento muito importante no Brasill, de querer reerger a saúde. A gente já recebeu membros da coordenação, recebemos documentos também e, certamente, vamos organizar o calendário para dialogar com entidades."


R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário