sexta-feira, 10 de julho de 2020

Vazão de afluentes e chuva podem gerar cheia de grandes proporções no Guaíba

Alerta emitido hoje pela MetSul indica elevação significativa do nível das águas nos próximos dias

Nível do Rio Caí, o principal afluentes do Guaíba, alcançou quase 15 metros nesta quinta-feira

Porto Alegre está em atenção máxima com a alta do nível das águas do Guaíba, que marcou na noite desta quinta-feira 2,23 metros no Cais Mauá. O patamar limite para o início das cheias nas ilhas da Capital, no delta do Jacuí, é de 2,10 metros. A situação, contudo, deve se agravar nos próximos dias, conforme alerta emitido pela MetSul, que indica uma cheia “de grande proporções e potencialmente histórica”, uma vez que as condições hidrológicas e meteorológicas apontam para o agravamento da situação na próxima semana. 
O nível das águas já está alto devido à vazão elevada decorrente ao ciclone da semana passada e por efeito do vento Sul. Os elevados volumes de chuva desta semana no Estado, contudo, devem impactar no Guaíba apenas nos próximos dias, conforme prognóstico do serviço meteorológico. 
Todos os afluentes do Guaíba passam por cheias, a maioria de grande porte. O principal deles, o Jacuí, está muito alto no Centro do Estado e já produziu inundações entre Restinga Seca e Agudo após precipitações de 150 mm a 200 mm em suas nascentes. O Taquari, que tem relevante impacto no Guaíba, enfrenta sua terceira maior cheia em um século, apenas atrás dos registrados em maio de 1941 (29,92 metros no porto de Estrela) e abril de 1956 (28,86 metros). Nesta quinta-feria, a medição no porto de Estrela apontou 27,55. Já o nível do rio Caí está perto de 15 metros, o maior em uma década. 
O tempo para que estes elevados níveis de água dos rios alcance a Região Metropolitana, somado a novos eventos climáticos, sustentam o alerta. O Rio dos Sinos, por exemplo, também registra grande cheia, mas que ainda não se manifestou no vale. Segundo a MetSul, a vazão das nascentes vai alcançar Campo Bom, Novo Hamburgo e São Leopoldo para, na sequência, avançar para Sapucaia do Sul, Esteio e Canoas antes de finalmente chegar no Guaíba. O mesmo ocorre com o rio Gravataí, que apresenta cheia depois de mais dos 100 mm de chuvas que atingiram o Litoral e cuja vazão, assim como no caso do Sinos, ainda não teria alcançado a Grande Porto Alegre.
A chegada destes volumes maiores pelos afluentes é aguardada justamente no momento em que a Região Metropolitana enfrentará mais períodos de chuva. De acordo com a MetSul, são esperadas precipitações com altas acumuladas durante o final de semana em Porto Alegre. 
A situação se agrava também com a chegada de uma forte massa de ar polar na primeira metade da semana que vem, o que deve intensificar o vento Sul na região. Historicamente esta direção do vento aumenta o nível do Guaíba entre 20 cm e 40 cm, em média. “O episódio coincidindo justamente com o período de pico da cheia pode agravar sobremaneira a situação hidrológica e provocar marcas históricas”, diz a MetSul. 
Nesta quinta-feira a Defesa Civil Estadual emitiu dois alertas para possibilidade de inundações para Porto Alegre e Região Metropolitana. Segundo coordenadoria, o aviso é válido para as próximas 48 horas.
Confira no vídeo publicado pela MetSul detalhes sobre o alerta:
Correio do Povo

Sol predomina ao longo do dia, mas sexta-feira será gelada em todo o RS

Amanhecer deve ter mínimas negativas ou próximas de 0°C em diversas localidades do Estado

Sol deve predominar em todo o Estado ao longo da sexta-feira

O sol predomina em todo o Rio Grande do Sul nesta sexta-feira. No entanto, a sexta-feira começa muito fria, com geada em parte do território gaúcho, e mínimas negativas ou perto de 0°C em diversas localidades.
De acordo com a MetSul Meteorologia, por conta do centro de alta pressão, ao longo do dia ingressam nuvens no território gaúcho. No entanto, tarde deverá ser de temperatura amena. No fim da sexta-feira, tempo volta a ficar instável, com chuvas na metade Sul.
Em Porto Alegre, sol aparece entre nuvens. A mínima na Capital deve ser de 4°C, e a máxima chega aos 21°C.

Mínimas e máximas no RS

Vacaria -3°C / 19°C
São José dos Ausentes -4°C / 17°C
Erechim 1°C / 22°C
Caxias do Sul 1°C / 21°C
Pelotas 2°C / 20°C
Santa Maria 3°C / 22°C

MetSul Meteorologia e Correio do Povo

Governo do RS confirma retorno do Gauchão no dia 23 de julho

Após reunião com a FGF, Eduardo Leite anunciou liberação dos treinos coletivos e a volta do campeonato

Reunião que definiu o retorno ocorreu nesta quinta-feira

Após quatro meses de paralisação, o Campeonato Gaúcho 2020 irá retornar no dia 23 de julho. Em reunião entre a Federação Gaúcha de Futebol e o governo do Estado, nesta quinta-feira, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou a liberação dos treinamentos coletivos a partir da próxima segunda-feira e permitiu a volta do torneio no final do mês.
Na saída do encontro, que ocorreu no Palácio Piratini, o presidente da FGF, Luciano Hocsman, informou que irá realizar uma reunião, nesta sexta-feira, com os clubes participantes do campeonato para alinhar a retomada, mas adiantou que regras já previstas no protocolo deverão ser respeitadas.
"A regionalização está mantida, assim como outros pontos como redução de membros por delegação, atletas chegando pré-fardados para o jogo, acesso da imprensa ao estádio somente para televisionamento, e todas as pessoas que trabalharem em função do jogo tendo necessidade de apresentar um atestado de testagem (...) Na reunião amanhã iremos projetar os próximos passos", ressaltou. 
A volta do campeonato é liberada no mesmo dia em que o Rio Grande do Sul, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, registrou recorde no número de novos óbitos pela Covid-19
O Gauchão está paralisado desde o dia 15 de março, quando ocorreu a última rodada já sem público. Com sete datas ainda para serem jogadas, a próxima rodada deverá ter um clássico Gre-Nal, no estádio Beira-Rio.

Governo e FGF apelam para manutenção do distanciamento social

Mesmo com o retorno do futebol, tanto Federação Gaúcha de Futebol quanto o governo do Estado alertaram a população para a manutenção do distanciamento social. De acordo com o governador Eduardo Leite, não significa volta ao normal. 
Leite fez um apelo a torcedores e pediu para que clubes, dirigentes e jogadores estimulem os torcedores a ficar em casa, assistindo aos jogos pela televisão. "Apelamos a todos que se mantenham sem fazer reuniões e confraternizações em função dos jogos", declarou.
O governador frisou a rigidez dos protocolos sanitários e observou que, em poucas rodadas, oito clubes deixam o campeonato. "Isso vai significar um grupo menor de pessoas, obedecendo às regras de distanciamento", frisou.
Correio do Povo