sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Porto Alegre oficializa gestão privada da iluminação pública até 2040

 Parceria privada de 20 anos prevê investimento de R$ 403 milhões na Capital



O prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Jr. anunciou, nesta quinta-feira, a conclusão da transição de Parceria Público-Privada (PPP) que dá ao Consórcio IPSul a responsabilidade de gerir e manter o sistema de iluminação pública da cidade até 2040. Desta forma, a partir desta sexta-feira, a empresa privada passa a responder por todas as demandas de operação e atendimento à população no segmento. Até então, todos os serviços realizados e em andamento na PPP da Iluminação Pública fazem parte de um "projeto-piloto". Todo o planejamento atual e futuro foi apresentado hoje em videoconferência com a presença do prefeito Nelson Marchezan, representantes do Consórcio e os secretários municipais de Parcerias e Serviços Urbanos, Thiago Ribeiro e Hiratan Pinheiro.

"A partir de amanhã demanda responsabilidade da empresa. De forma integral a partir do ano que vem, mas haverá troca de lâmpadas que vamos dar sequência nesta operação", destacou o prefeito que classificou a parceria como de "sucesso em todos os aspectos". "As entregas que foram feitas até agora foram de testes para a empresa testar a operação e logística. Operação real que seja um protótipo", explicou Marchezan sobre as ações entregues e as demais que devem ser concluídas até a virada do ano. A fiscalização das obras ficará a cargo do secretário municipal de Serviços Urbanos Hiratan Pinheiro.

O projeto prevê o alcance de 100% da iluminação com tecnologia LED no município. Atualmente, a cobertura é de 6%, conforme dados apresentados pelo gestor municipal. A previsão é que, com o novo sistema, a economia de energia chegue a 70%, que vai representar uma redução de metade dos custos em relação à manutenção da iluminação branca. 

De acordo com o secretário Pinheiro, a cidade também receberá "iluminação cênica" em pontos turísticos de Porto Alegre, ação que ele classifica como inovador. Para a fase das ações do projeto-piloto, que iniciou em 1º de setembro, foram selecionadas cinco avenidas de grande circulação de veículos, pedestres e transportes coletivos. São elas: avenidas Assis Brasil, Bento Gonçalves, Cavalhada/Nonoai, Ipiranga e Vila Planetário, abarcando assim quatro regiões da Capital. Ao todo serão 497 pontos de iluminação repaginados. 

Durante a coletiva virtual, o secretário de Parcerias da Capital destacou que o resultado já observado nas pontos de luz renovados da cidade ainda não representam o resultado final da operação. "Temos postes muito antigos que não suportam a capacidade total de luz que queremos colocar. Alguns postes que hoje têm duas lâmpadas LED, futuramente terão quatro", apontou.

A próxima etapa, sem data para início, deverá englobar 20 vias da cidade com instalação de 400 novas lâmpadas LED. Além disso, o projeto prevê a revitalização de 18 postes antigos, da década de 20, do bairro Centro Histórico. Até o momento, 12 pontos provisórios já foram instalados. Mesmo ganhando lâmpadas mais modernas, a luminosidade nestes postes permanecerá de tom amarelado para preservar o padrão estético.

Durante a apresentação da parceria, Marchezan ressaltou que Porto Alegre é a primeira cidade brasileira a realizar leilão de PPP para iluminação pública na sede da B3, em São Paulo. O investimento projetado é de R$ 403 milhões.

Atendimento à população

A partir da meia-noite desta sexta-feira, o consórcio IPSul passa a responder também pelo atendimento das demandas da população. Assim, qualquer reclamação ou solicitação devem ser encaminhadas via ligação gratuíta pelo 0800 000 1740 ou pelo e-mail ipsulpoa.cidadeiluminada.com.br. A responsabilidade caberá à empresa até o término da operação em 2040. 


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário