quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Exército informa que não vai indicar substituto para comissão do TSE

 Coronel foi descredenciado do grupo após publicar nas redes sociais informações falsas sobre o sistema de votação


O Exército informou nesta quarta-feira que não vai indicar um militar para substituir o coronel Ricardo Sant'Anna, que foi descredenciado da Comissão de Fiscalização das Eleições do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele foi acusado de espalhar fake news sobre as urnas eletrônicas.

Em um comunicado, o Exército considerou a decisão do TSE unilateral. "Baseado em 'apuração da imprensa' e de forma unilateral, sem qualquer pedido de esclarecimento ou consulta ao Ministério da Defesa ou ao Exército Brasileiro, o TSE 'descredenciou' o militar. Dessa forma, o Exército não indicará substituto e continuará apoiando tecnicamente o MD (Ministério da Defesa) nos trabalhos julgados pertinentes", afirma o texto divulgado pelos militares.

Em ofício enviado ao ministro da Defesa, Paulo Sérgio, o presidente do TSE, Edson Fachin, afirmou que os integrantes da comissão de fiscalização eleitoral devem ter confiança da sociedade e da Justiça Eleitoral e não podem espalhar informações falsas sobre o sistema eleitoral. "Conquanto partidos e agentes políticos tenham o direito de atuar como fiscais, a posição de avaliador da conformidade de sistemas e equipamentos não deve ser ocupada por aqueles que negam prima facie o sistema eleitoral brasileiro e circulam desinformação a seu respeito", afirmou Fachin.

O Exército alega que o trabalho de suas equipes é técnico e institucional. "O trabalho da equipe das Forças Armadas, particularmente dos representantes do Exército Brasileiro, é eminentemente técnico e realizado de forma coletiva por seus integrantes, além de ser estritamente institucional, como se supõe que devam ser os trabalhos de todas as demais equipes participantes do processo", completa o comunicado feito pela força.


R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário