sexta-feira, 27 de maio de 2022

Governo federal arrecada 195 bilhões de reais em abril, o melhor resultado para o mês em quase 30 anos

 


A Receita Federal informou nesta quinta-feira (26) que a arrecadação do governo federal com impostos, contribuições e demais receitas atingiu R$ 195,1 bilhões em abril.

O resultado representa recorde para o mês desde 1995, quando começou a série histórica da Receita. Com isso, atingiu o maior valor em 28 anos.

Conforme a Receita, na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando a arrecadação foi de R$ 175,9 bilhões (valor corrigido pela inflação), houve aumento real de 10,94%.

Destaques

Segundo a Receita Federal, a arrecadação recorde no mês passado aconteceu apesar da redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) em 25%, autorizada no fim de fevereiro, e do corte de tributos sobre combustíveis.

Essas duas medidas levaram à uma perda de R$ 3,7 bilhões de arrecadação no mês passado.

De acordo com órgão, o recorde de arrecadação, em abril, está relacionado com o nível de atividade e com o aumento dos preços de produtos básicos e dos combustíveis, entre outros.

Em abril, as vendas de bens aumentaram 4,5% e as de serviços, 11,4%.

“A atividade econômica é responsável majoritariamente pelo desempenho da arrecadação em relação ao ano passado. O desempenho do PIB veio muito forte no primeiro trimestre”, disse o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias.

Ele acrescentou que o bom desempenho de “commodities” (alta do preço) como petróleo e minério de ferro impulsionou a lucratividade das empresas do setor, elevando também a arrecadação federal.

Os números mostram que o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), tributos sobre faturamento e lucro das empresas, somou R$ 48,1 bilhões em abril, com crescimento real de 21,53%.

“Importante observar que houve pagamentos atípicos de, aproximadamente, R$ 3 bilhões, por empresas ligadas ao setor de commodities [produtos básicos, como alimentos e petróleo]”, acrescentou a Receita.

Com a alta no preço dos combustíveis, decorrente da guerra na Ucrânia, os valores arrecadados com esse setor pelo governo federal saltaram de R$ 3,1 bilhões, em abril de 2021, para R$ 7,5 bilhões no mês passado.

Acumulado do ano

No acumulado dos primeiros quatro meses deste ano, ainda segundo dados oficiais, a arrecadação federal somou R$ 743,2 bilhões.

Em valores corrigidos pela inflação, totalizou R$ 757,8 bilhões (novo recorde), o que representa alta real de 11,05% na comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 682,4 bilhões).

Os números da Receita Federal mostram que essa também foi a maior arrecadação, para o período de janeiro a abril de um ano, desde o início da série histórica, em 1995.

Meta fiscal

A meta fiscal definida pelo governo para este ano é de déficit de até R$ 170,5 bilhões.

O déficit primário indica quanto o governo deve gastar acima da arrecadação do ano, sem contar as despesas com a dívida pública.

Entretanto, a última estimativa do Ministério da Economia, divulgada em março, é de que o déficit primário será menor: de R$ 66,9 bilhões em 2022.

Se confirmado o déficit, 2022 será o nono ano consecutivo com rombo nas contas do governo, que vêm registrando resultados negativos.

Em 2021, o resultado negativo foi de R$ 35,073 bilhões.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário