segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Sebastião Melo fala em desestatizar “o máximo possível”

 Manifestação do prefeito ocorre no momento em que servidores da Carris prometem greve a partir desta segunda-feira

Taline Oppitz



A semana começará marcada por protestos dos rodoviários, nesta segunda-feira, às 4h, na porta da garagem da Carris. O ato, que é o segundo desde a última semana, é contra a privatização da companhia e em defesa dos cargos dos cobradores. Um dos projetos do pacote do Transporte Coletivo, encaminhado por Sebastião Melo (MDB) à Câmara, prevê a extinção gradual da função até 2026.

A prefeitura montou operação para evitar transtornos aos usuários. Entre as iniciativas, 20 ônibus da Carris terão proteção da Brigada Militar e outros 20 extras serão colocados em circulação pelas empresas privadas. Segundo Melo, a desestatização da Carris irá proporcionar uma passagem mais barata. O emedebista reforça que Porto Alegre tem uma das passagens mais caras do país devido ao excesso de isenções e uma empresa pública que gasta 21% a mais por quilômetro rodado do que qualquer consórcio privado.

“A cada mês, o presidente da Carris vai ao meu gabinete fazer apelo para que eu libere R$ 6 milhões para pagar salários e despesas. O faturamento da Carris hoje não suporta a operação. Há excesso de funcionários, cerca de 140 mecânicos, quando são necessários apenas 40, compras mais caras, e muita atividade meio. Isto levou a um passivo trabalhista de cerca de R$ 30 milhões”, disse Melo à coluna neste domingo.

O prefeito está convencido, e não irá recuar, de que desestatizar a companhia representará melhoria nos serviços prestados à população. Melo mencionou que durante ação, sábado, na Vila dos Sargentos, perguntou aos moradores se houve melhora no atendimento após o ingresso da atuação do Hospital Vila Nova no local e que as respostas foram todas afirmativas. “Vamos seguir prestando serviços públicos, mas com parceiros privados e desestatizar o máximo possível”, defendeu o prefeito.

Em tempo: três ônibus tiveram seus sistemas adaptados e estão sendo testados para rodarem sem cobradores e com tarifa a R$ 4,00. 

Correio do Povo


Dez partidos defendem Alexandre de Moraes contra pedido de impeachment


São Leopoldo retoma levantamento contra Aedes aegypti após quase dois anos


Sérgio Reis diz ser alvo de ameaças e se arrepende de "frase infeliz"


Óbitos superam mais de 10% dos casos reportados no surto do Conceição


Pedras Altas encerra aplicação da primeira dose de vacina contra a Covid-19

Nenhum comentário:

Postar um comentário