segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Bolsonaro diz que o impeachment do ministro do Supremo Alexandre de Moraes “não é revanche”

 


O presidente Jair Bolsonaro disse que o pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, apresentado por ele ao Senado não é uma “revanche”. Ainda assim, Bolsonaro reclamou de estar sendo investigado pelo Supremo no que chamou de “inquérito do fim do mundo”.

“Eu fiz tudo dentro das quatro linhas da Constituição. Engraçado, quando eu entro com uma ação no Senado fundada na Constituição, o mundo cai na minha cabeça. Quando uma pessoa, com um inquérito do fim do mundo, me bota lá, ninguém fala nada. Não é revanche, cada um tem que saber o seu lugar. Só podemos viver em paz e harmonia se cada um respeitar o próximo e saber que existe um limite, que é a nossa Constituição”, afirmou Bolsonaro. “Todos os incisos do artigo 5º da Constituição, cumpri todos. Não tem nenhum ato meu fora dessas quatro linhas”, completou.

O pedido de impeachment do ministro do STF foi protocolado digitalmente pela Presidência da República diretamente no gabinete do Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e é assinado apenas por Bolsonaro. O pedido em si soma 17 páginas, mas o arquivo protocolado no Senado é bem maior, pois inclui cópias de documentos pessoais de Bolsonaro e alguns despachos de Moraes. O documento conta com a firma reconhecida de Bolsonaro, depositada em um cartório da Asa Norte de Brasília.

O presidente visitou no último sábado (21) o sítio onde morou na adolescência em Eldorado, no interior de São Paulo. Ele viu a mãe, Olinda, de 94 anos. Registro compartilhado nas redes sociais mostra Bolsonaro posando com três de filhos — Flávio, Carlos e Eduardo – e a mãe.

Em transmissão ao vivo, o presidente e sua equipe – todos sem máscara – fizeram um recorrido de quase uma hora pela fazenda na companhia do atual proprietário. Bolsonaro chegou a reencontrar um trator antigo que utilizava na época em que morou no local com os pais e os irmãos.

Durante a live, o presidente evitou fazer comentários sobre política e economia. “Meu único desejo é deixar um Brasil melhor do que o que eu recebi em 2019. Apesar de todos os problemas, pandemias, crise hidrológica enorme, as geadas – que queimaram a safrinha de milho e impactam o preço do frango e dos ovos. Tem muita coisa para ser feita, mas passa pelo Parlamento, também tem o impedimento da Justiça, mas seguimos trabalhando”, limitou-se a dizer.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário