terça-feira, 27 de outubro de 2020

Damares: RS será exemplo ao Brasil na busca por menores desaparecidos

 Ministra cumpriu agenda em Porto Alegre nesta segunda-feira


Durante a tarde desta segunda-feira, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, cumpriu agenda em três órgãos gaúchos em Porto Alegre antes de pegar o voo de volta para Brasília. O primeiro encontro ocorreu na Secretaria da Segurança Pública (SSP). Lá, assistiu a uma demonstração de como a tecnologia de reconhecimento facial pode auxiliar na localização de menores desaparecidos. O deputado estadual tenente-coronel Zucco, criador da lei, a acompanhou na oportunidade.

Além de uma apresentação sobre o funcionamento da tecnologia, os participantes da reunião passaram por testes de reconhecimento a partir de imagens captadas por câmeras do sistema gerenciado pelo Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI) da secretaria. “É uma pauta de proteção à vida. Foi um encontro extraordinário com o (vice-governador e titular da SSP) Ranolfo Vieira Júnior e sua equipe. Vamos provocar outros Estados a se mobilizarem também”, disse Damares.

Ranolfo Vieira Júnior agradeceu o interesse e a disponibilidade da ministra em adotar uma ideia com origem no Estado pelo restante do país. “Esperamos que esse primeiro contato, embora em uma etapa ainda bastante embrionária, possa se concretizar em uma política efetiva no futuro, fortalecendo o uso de inteligência e tecnologia no trabalho das forças de segurança”, afirmou.

Em seguida, Damares se encontrou com o procurador-geral do Estado, Fabiano Dallazen, na sede do Ministério Público. “O judiciário daqui tem feito muita coisa. Grandes iniciativas do MP gaúcho em relação à proteção da infância e do adolescente. Discutimos ações”, confirmou a ministra. Para Dallazen, este tema envolve todo o Poder Público e a sociedade, independente da visão política. “São pessoas vulneráveis, crianças desaparecidas que marcam suas famílias para sempre. Não interessa se o partido é de direita ou de esquerda. É uma pauta que não pode ser mais adiada pelo Estado, em todos os âmbitos”. O procurador-geral do RS ressalta que o país “não pode suportar este tipo de violação se quer ser uma nação com uma qualidade de vida maior”.

A agenda encerrou no Palácio Piratini, com o encontro da ministra com o governador Eduardo Leite. “Fui dar um abraço nele, agradecer por ter sancionado a lei e por estar tão envolvido com a pauta”. O chefe do Executivo do RS lembrou da dificuldade nas buscas aos desaparecidos porque a maioria das crianças e dos adolescentes não têm carteira de identidade. “Então, dar visibilidade à pauta é importante, até para nos ajudar a obter recursos para a implementação efetiva da lei”, detalhou o governador. A implantação da tecnologia de reconhecimento por vídeo no sistema de câmeras do Estado depende de contratação de fornecedor. Damares concluiu dizendo que o exemplo do RS será propagado. “Do Rio Grande do Sul para o Brasil”, exclamou.

Em respeito aos protocolos de prevenção contra a Covid-19, as reuniões foram restrita às autoridades.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário