terça-feira, 15 de novembro de 2022

Lavrov diz que condições da Ucrânia retomar negociações com Moscou são 'irrealistas'

 Ministro das Relações Exteriores da Rússia participa da Cúpula do G20, em Bali, na Indonésia.


O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta terça-feira (15) que as condições da Ucrânia para reiniciar as negociações com Moscou eram "irrealistas". A afirmação foi feita durante a Cúpula do G20, em Bali, na Indonésia.


No encontro, líderes dos países aumentam a pressão para que a Rússia encerre o conflito.


"Todos os problemas são com o lado ucraniano, que está recusando categoricamente as negociações e apresentando condições que são obviamente irreais", disse Lavrov a repórteres, segundo informou a France Presse.


Ele disse que apresentou essa posição durante uma reunião com o presidente francês Emmanuel Macron e que explicou a posição da Rússia durante conversas com o chanceler alemão Olaf Scholz.


Autoridades russas e ucranianas realizaram várias rodadas de negociações durante os estágios iniciais do conflito - incluindo reuniões organizadas por Recep Tayyip Erdogan - que terminaram sem acordos para conter os combates.


Juntamente com a ONU e a Turquia, a Rússia e a Ucrânia assinaram um acordo, em julho, para desbloquear vários portos ucranianos, permitindo a exportação de grãos de um dos maiores produtores do mundo.


'Guerra deve ser interrompida'

Mas o líder ucraniano Volodymyr Zelensky disse que Kyiv não pode manter negociações de paz com Moscou enquanto o presidente russo, Vladimir Putin, permanecer no poder.


Zelensky defendeu a líderes do G20 que a guerra pode estar perto do fim. "Estou convencido que agora é o momento em que a guerra pode e deve ser interrompida", afirmou ele por vídeo em reunião com os países mais ricos do mundo.

Zelensky acredita que o recuo russo em Kherson é uma oportunidade para pressionar Putin e chegar a um acordo de paz. "Nós não vamos permitir que a Rússia recomponha suas forças", afirmou.


O plano de paz do líder ucraniano pede a retirada de todas as tropas russas e que a Ucrânia mantenha seus territórios. Ele também pede a libertação de todos os prisioneiros ucranianos.


"Por favor, escolham o caminho da liderança - e juntos vamos implementar a fórmula da paz", disse ele aos líderes do G20.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário