domingo, 22 de maio de 2022

Quase dois terços dos brasileiros aceitam privatizar a Petrobras

 


Uma pesquisa da XP/Ipespe divulgada nesta semana aponta que 67% dos brasileiros são favoráveis à privatização da Petrobras, caso fique comprovado que os preços dos combustíveis diminuam em decorrência da venda. Caso a condição de baixar os preços não se comprove, 49% da população diz não concordar com a venda da companhia, contra 38% favoráveis. Para 44%, os preços dos combustíveis aumentariam ainda mais no caso da privatização da estatal.

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, prometeu, como primeiro ato, acelerar o processo de privatização da Petrobras e incluir no Plano Nacional de Desestização a PPSA, responsável pelo Pré-sal.

Ele substitui o almirante Bento Albuquerque, que estava no comando do ministério desde o começo do governo. Sua saída foi atribuída a um pedido pessoal, mas a pressão causada pelos reajustes dos valores dos combustíveis e a insatisfação do presidente Jair Bolsonaro com a política de preços da Petrobras também pesaram para a saída.

Ainda de acordo com a pesquisa, 64% dos entrevistados consideram que a Petrobras tem “muita responsabilidade” sobre as sucessivas elevações nos preços. Para 45%, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), teve muita responsabilidade.

Outro fator foi apontado por 40% dos entrevistados, a Guerra da Ucrânia, que fez o preço do barril de petróleo chega à máximas históricas.

Do total de entrevistados, 37% deles classificaram como muito responsáveis os governos anteriores, enquanto 33% disseram que os presidentes anteriores não tem “nenhuma responsabilidade” com a alta de preços em 2022; neste quesito, Bolsonaro aparece com 26%.

A pesquisa também traz o cenário de intenções de voto para presidente da República.

Confira as porcentagens estipuladas de cada candidato:

1) Primeiro turno

Intenção de voto estipulada para presidente:

— Lula: 44%
— Bolsonaro: 32%
— Ciro Gomes: 8%
— Doria: 4%
— Janones: 2%
— Tebet: 2%
— Felipe d’Avila: não pontuou
— Vera: não pontuou
— Eymael: não pontuou
— Luciano Bivar: não pontuou
— Branco ou Nulo: 6%
— Indecisos: 2%

2) Segundo turno

Intenção de voto estipulada para presidente:

Cenário 1:
— Lula: 53%
— Bolsonaro: 34%
— Branco ou nulo: 13%

Cenário 2:
— Lula: 53%
— Ciro Gomes: 25%
— Branco ou nulo: 22%

Cenário 3:
— Lula: 54%
— Doria: 20%
— Branco ou nulo: 26%

Cenário 4:
— Ciro Gomes: 44%
— Bolsonaro: 40%
— Branco ou nulo: 16%

Cenário 5:
— Bolsonaro: 40%
— Doria: 38%
— Branco ou nulo: 22%

Metodologia

Foram ouvidas 1.000 pessoas por telefone entre 16 e 18 de maio. A pesquisa, encomendada pela XP Investimentos, foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-08011/2022. A margem de erro máximo estimada é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5%. Ou seja, se 100 pesquisas fossem realizadas, ao menos 95 apresentariam os mesmos resultados dentro desta margem.

Os percentuais que não totalizam 100% são decorrentes de arredondamento ou de múltiplas alternativas de resposta.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário