terça-feira, 10 de agosto de 2021

Presidente da Câmara chama exibição de blindados de “trágica coincidência” e pode adiar votação da PEC do voto impresso

 


O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), chamou de “trágica coincidência” o anúncio de uma exibição de veículos militares blindados na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), nesta terça-feira (10) – mesmo dia em que o plenário da Casa deve analisar a PEC do voto impresso.

A impressão do voto depositado na urna eletrônica é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, que tem feito ataques sem provas ao sistema eleitoral e já ameaçou agir “fora das quatro linhas” da Constituição.

Em entrevista ao site “O Antagonista” nesta segunda (9), Lira afirmou que pode inclusive adiar a votação da PEC se houver pedido dos líderes partidários.

Parlamentares de oposição reagiram nesta segunda ao anúncio da exibição militar e acionaram a Justiça para pedir a proibição do evento. A oposição defende, no entanto, que a PEC seja votada e rejeitada o quanto antes para botar fim ao inflamado debate sobre o tema.

“Eu encaro isso como uma trágica coincidência. Não é que eu apoie essa demonstração. Bem verdade, eu procurei informações, essa operação Formosa acontece desde 88 aqui em Goiás”, disse Lira.

“Não é uma coisa inventada, mas também nunca houve um desfile para a operação Formosa na Esplanada dos Ministérios que foi parar na frente do Palácio do Planalto. Eu acredito que, com relação à votação, não deveremos ter problema. Se os deputados quiserem e a população achar que é conveniente, podemos, a gente pode adiar a votação”, declarou Lira ao “Antagonista”.

De acordo com a Marinha, o treinamento militar “operação Formosa” acontecerá na próxima semana em Formosa (GO), mas o comboio que saiu do Rio de Janeiro passará por Brasília nesta terça.

Pela primeira vez, os veículos passarão pela área central de Brasília e pelo Palácio do Planalto, ao lado do Congresso. O objetivo desse percurso inédito, segundo a Marinha, é entregar pessoalmente um convite para que Jair Bolsonaro participe do treinamento.

Bolsonaro nega intimidação, diz Lira

Na entrevista, Lira disse que o País está “polarizado” em relação à PEC do voto impresso. Segundo o presidente da Câmara, a exibição dos carros blindados das Forças Armadas “dá cabimento para que se especule algum tipo de pressão”.

Lira diz, no entanto, que conversou com Bolsonaro e ouviu do presidente da República que o objetivo do evento não seria pressionar o parlamento.

“Entramos em contato com o Palácio [do Planalto], falei com o presidente, que nos garantiu que não havia esse intuito. Mas quero dizer que não é usual, e esse tipo de especulação cabe nesse momento, embora a coincidência trágica da agenda da Câmara com essa passagem dos blindados para Formosa realmente apimenta esse momento”, declarou.

Comissão já rejeitou PEC

A comissão especial que analisou a PEC do voto impresso aprovou parecer pela rejeição e pelo arquivamento da proposta na última sexta (6).

No fim da última semana, Arthur Lira já havia dito que levaria o tema a plenário – para que os 513 deputados pudessem votar. Nesta segunda, o deputado confirmou que o tema deve ser pautado nesta terça.

Se for rejeitada em plenário, a PEC é arquivada em definitivo. Se for aprovado em dois turnos, por 3/5 dos parlamentares, o texto é enviado para análise do Senado.

Aliados do governo tentam ganhar tempo para reverter a expectativa de derrota em plenário e angariar votos a favor da PEC. Já a oposição pressiona para que o tema seja analisado o quanto antes.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário