sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Polícia prende técnica de enfermagem que falsificava receitas em Pelotas (RS)

Detenção em flagrante ocorreu na noite desta quinta-feira


A Polícia Civil, através do Setor de Investigação da 1ª DP, prendeu em flagrante na noite desta quinta-feira uma técnica de enfermagem que aproveitava-se de sua condição de servidora pública para furtar e falsificar receitas médicas em Pelotas. A abordagem foi realizada no apartamento da suspeita enquanto ela realizava a compra de um opioide,  que é uma droga que atua no sistema nervoso para aliviar a dor.

O uso contínuo causa dependência química. "Os agentes do Setor de Investigação estavam monitorando a residência da suspeita desde que surgiram as primeiras denúncias de médicos que alegavam ter tido receituários e carimbos furtados de seus locais de trabalho. Há a suspeita de que a mulher revendia parte do medicamento, mas ela negou em um primeiro momento. Isso será investigado agora no curso do inquérito policial", destacou o Delegado Titular da 1ª DP, Gustavo Pereira.

A investigação teve início após o registro de uma ocorrência de furto por um médico. Conforme o apurado pela polícia a suspeita teve acesso aos receituários médicos de medicação com controle pois trabalhava no mesmo local que a vítima. "Ao identificar a técnica de enfermagem, os policiais perceberam que a conduta era recorrente, pois já haviam outras ocorrências semelhantes em face da acusada. Ela chegou a ir em outro município para comprar medicamentos", afirmou o delegado.

Durante a semana, os policiais monitoraram a residência dela até que na noite desta quinta-feira identificaram a entrada de um entregador de uma rede de farmácias. "Os policiais ingressaram junto com o motociclista que fez a entrega e abordaram a suspeita na porta de seu apartamento. Ela confessou que falsifica as receitas utilizando receituários e carimbos de médicos dos locais em que trabalhava", disse Pereira. 

Após os procedimentos de praxe, a mulher de 33 anos foi conduzida ao Presidio Reginal de Pelotas. Ela responderá ao crime de uso de documento falso, que tem pena prevista de dois a  seis anos de prisão. 


Correio do Povo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário