domingo, 9 de agosto de 2020

Comércio de Porto Alegre tem movimento intenso na véspera do Dia dos País

Foram registradas filas para entrar no Mercado Público

Movimento no comércio no Centro de Porto Alegre para o Dia dos Pais

O movimento de clientes foi intenso no comércio de Porto Alegre, no sábado, véspera do Dia do Pais. Desde as primeiras horas da manhã, os consumidores formaram filas nas lojas do Centro Histórico, principalmente nas lojas localizadas nas ruas dos Andradas, Doutor Flores e Voluntários da Pátria. Um dos locais mais procurados pelos consumidores foram as Lojas Americanas, na rua dos Andradas, Renner, na rua Otávio Rocha, Colombo e Magazine Luiza, na rua Doutor Flores que em alguns momentos da manhã teve filas.
No Mercado Público, foram registradas filas para entrar no estabelecimento comercial pelo Largo Glênio Peres e na avenida Borges de Medeiros. A partir das 10h, a circulação de pessoas se intensificou nas ruas Voluntários da Pátria, principalmente no Centro Popular de Compras, o POP Center, e Andradas. No Mercado Público, foram registradas filas na entrada do estabelecimento comercial na entrada pelo Largo Glênio Peres e pela avenida Borges de Medeiros. No entanto, os empresários ficaram descontentes com a decisão da justiça de fechar o comércio às 16h. Eles comemoravam na manhã de sábado a retomada dos negócios por conta da comemoração do Dia dos Pais.    
A dona de casa Elizete Mendes, moradora do bairro Glória, disse que pretendia gastar um total de R$ 200,00 com presentes ao marido. "Estava esperando ansiosamente pela abertura das lojas de rua e dos shoppings", destacou. Ela, que estava acompanhada das filhas Rosane e Carla, deixou uma loja de sapatos com três sacolas. Já a dona de casa Nádia Silva, residente no bairro Santana, aproveitou a data para realizar a compra de duas calças e um par de sapatos para o marido. 
A pedido do Ministério Público, a Justiça determinou liminarmente, na madrugada de sábado, a suspensão da eficácia dos artigos 1º e 2º do decreto municipal 20.676/20 e que o Município não autorize a abertura dos estabelecimentos comerciais não essenciais, inclusive shoppings center e centros comerciais, além de barbearias e salões de beleza no município de Porto Alegre em desconformidade com o Sistema de Distanciamento Controlado do Decreto Estadual 55240/20 e alterações subsequentes, sob pena de multa de R$ 5 mil por ocorrência de descumprimento. Assim, em Porto Alegre, o comércio teve que fechar às 16h. Não foi permitida a abertura do comércio no domingo.
Além disso, salões de beleza e barbearias deverão cumprir o protocolo de 25% de trabalhadores, atendimento individualizado ou com distanciamento de quatro metros. “É bem verdade que o funcionamento é previsto por apenas três dias, mas não se observa os dias permitidos (de quarta a sábado), não se restringiu o horário de funcionamento (das 10h às 16h) e tampouco o teto de operação (percentual máximo de pessoal trabalhando). Ainda, o teto de operação (25% dos trabalhadores) tampouco foi estabelecido em relação às barbearias e salões de beleza”, diz a decisão.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário