terça-feira, 15 de outubro de 2019

Tabata Amaral vai à Justiça para deixar PDT sem perder mandato

Disse em entrevista ao programa Roda Viva

Contrariou partido na votação da Previdência

Deputada Tabata Amaral, em entrevista no Roda Viva nessa 2ª feira (14.out)Reprodução/TV Cultura

PATRÍCIA NADIR
15.out.2019 (terça-feira) - 8h04
atualizado: 15.out.2019 (terça-feira) - 8h04

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) afirmou, nessa 2ª feira (14.out.2019), que entrará com uma ação na Justiça Eleitoral para tentar sair do PDT sem perder seu mandato. “O PDT deixou de ser meu partido”, disse a deputada, durante entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura.

“Não atuo mais como vice-líder, os projetos que eu tinha em São Paulo foram cancelados. Eu estava construindo esse partido. Tudo isso foi cancelado”, disse.

A congressista afirmou que o pedido faz parte de uma ação em conjunto com ao menos 6 outros deputados, do PDT e do PSB, que querem deixar as siglas mas seguir no Congresso.

Ela está suspensa de suas atividades partidárias há 3 meses porque o PDT abriu processo para decidir a punição aos deputados do partido que contrariaram determinação e votaram a favor da reforma da Previdência.

Tabata disse que os deputados Flávio Nogueira (PI), Marlon Santos (RS) e Gil Cutrim (MA), que atualmente também são do PDT, além dos deputados do PSB Rodrigo Coelho (SC), Jefferson Campos (SP) e Felipe Rigoni (ES) vão acompanhá-la na decisão –que deve ser formalizada nesta 3ª feira (15.out). Segundo ela, as ações na Justiça serão individuais.

Autores

PATRÍCIA NADIR

ASSISTENTE DE REDAÇÃO

enviar e-mail para Patrícia Nadir


Poder 360

Nenhum comentário:

Postar um comentário