segunda-feira, 7 de outubro de 2019

MP do FGTS prevê quebra do monopólio da Caixa como operador do Fundo

Mudança foi incluída por relator do texto, após negociações entre o Palácio do Planalto e o presidente da Câmara

Geralda Doca e Luciana Casemiro

 Plataforma Digital da Caixa Econômica Federal, para acesso ao FGTS Foto: Gabriel Monteiro / Agência O GloboPlataforma Digital da Caixa Econômica Federal, para acesso ao FGTS Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

BRASÍLIA E RIO — O governo quer quebrar o monopólio da CaixaEconômica Federal como operadora do FGTS e dar acesso direto aos recursos para os demais bancos. Isso abriria às instituições privadas a oportunidade de financiar com dinheiro do Fundo projetos de habitação ,saneamento e infraestrutura , nos quais foram aplicados cerca de R$ 60 bilhões no ano passado.

O relator da MP do FGTS, deputado Hugo Motta (Republicanos-PB),  já aceitou incorporar a medida ao texto, após o Palácio do Planalto fechar acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. O  parecer será lido em Comissão Mista do Congresso nesta terça-feira. O relatório final propõe ainda o fim do adicional de 10% sobre demissões sem justa causa que as empresas recolhem ao FGTS.


O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário