terça-feira, 22 de novembro de 2022

Copa do Mundo: Inglaterra mostra força e Holanda vence sem empolgar em dia de protestos no Catar

 Confira o resumo do 2° dia de jogos do Mundial e o que vem por aí na terça-feira

O segundo dia da Copa do Mundo do Catar teve estreia de seleções tradicionais, festa e protestos no gramado e nas arquibancadas. Dentro do campo, as favoritas Inglaterra e Holanda venceram seus compromissos, enquanto Estados Unidos e Gales empataram. Nas arquibancadas, a cena emblemática ficou por conta da torcedora do Irã que veio às lágrimas, durante o protesto dos atletas contra o regime que tira direitos das mulheres no país. Confira o resumo completo do 2° dia do Mundial. 

Holanda estreia no Grupo A 

Depois da vitória do Equador diante do Catar, foi a vez de Holanda e Senegal entrarem em campo. Num jogo amarrado, os holandeses venceram por 2 a 0 com gols na reta final. O duelo foi apitado pelo brasileiro Wilton Pereira Sampaio, que se saiu bem, com performance discreta. O resultado deixa a Laranja Mecânica e o Equador empatados com três pontos e o mesmo saldo. Senegal e os donos da casa ficam com 0. Na próxima rodada,os africanos encaram o Catar e Holanda e Equador medem forças pela liderança. 

Foto: Ozan Kose / AFP / CP

Inglaterra atropela; EUA e Gales se equivalem

A Inglaterra não tomou conhecimento da seleção do Irã. O English Team venceu por 6 a 2 com amplo domínio e mostrou repertório ofensivo. Destaque para a atuação do jovem Saka. O confronto também teve apito brasileiro, com Raphael Klaus. O trabalho de Klaus foi alvo de críticas na internet. 

No outro jogo da chave, EUA e o País de Gales empataram por 1 a 1. Weah marcou para os norte-americanos de pênalti. Gareth Bale deixou o dele em pênalti. Com isso, a Inglaterra lidera isolada, seguida por Gales e EUA com 1. O Irã é o lanterna. Na próxima rodada, Gales enfrenta o Irã e a Inglaterra encara os EUA. 

Barulho nas arquibancadas

Apesar da derrota, a torcida de Senegal fez bonita festa. A empolgação da torcida lembra, em muito, a das boas organizadas brasileira. As cores parecidas ganham corpos pintados com as letras “S-E-N-E-G-A-L”, perucas multicoloridas e demais adereços além de danças coreografadas. Tudo para incentivar o time durante os 90 minutos. A equipe até correspondeu, com boas jogadas e algumas chances. Na reta final, contudo, a maior experiência da Holanda em mundiais fez valer o 2 a 0.

Foto: Ozan Kose / AFP / CP

Protesto marcante 

Durante a execução do hino nacional, uma torcedora foi flagrada chorando ao ver os jogadores do Irã se recusando a cantar o hino nacional. Os atletas se manifestaram contra o regime que reprime o país, mantendo silência durante a execução. 

Foto: Paul Ellis / AFP / CP

Perguntado esta semana sobre o apoio aos manifestantes, o capitão Alireza Jahanbakhsh adiantou que a decisão seria coletiva. E foi. Os ingleses também protestaram, mas pela realização da Copa no Catar e o veto a símbolos de causas de gênero. Antes da bola rolar, eles ficaram de joelhos. A Fifa vem pedindo para as equipes focarem no gramado. A Bélgica teve seu pedido negado e não poderá utilizar a palavra "Love" presente no seu segundo jogo de uniformes.

Lembrança emocionante

Outra cena sensível foi a celebração do atacante inglês Jack Grealish. Ao anotar seu gol na goleada da Inglaterra, ele celebrou dançando como havia prometido ao pequeno Finlay, de 11, que sofre com paralisia cerebral. 

 

Fanático pelo City, o torcedor escreveu uma carta ao jogador, que resultou em um encontro entre os dois e a promessa da celebração cumprida hoje. 

Brasileiros querendo jogo

Os árbitros brasileiros Raphael Klaus e Wilton Pereira Sampaio gostaram de apitar na Copa do Mundo. Somados, a dupla deu quase um tempo a mais de bola rolando, com 34 minutos de acréscimos em seus jogos. 

Foto: Odd Andersen / AFP / CP

No primeiro, Klaus precisou acrescer o tempo perdido por atendimento de lesão e uma paralisação do VAR. 14 na primeira etapa, e 10 no complemento. Já Wilton, precisou dar 8 minutos por atendimento de lesão. 

O que vem por aí

A terça-feira será de ainda mais jogos. Quatro ao total. E teremos favoritos em campo. O primeiro compromisso começa às 7h, com a Argentina estreando diante da Arábia Saudita pelo Grupo C. Na sequência, o Grupo D será inaugurado. Dinamarca e Tunísia se encaram às 10h. No turno da tarde, será a vez de México e Polônia pelo Grupo C. Por fim,  atual campeã França busca a vitória diante da Austrália, fechando a chave D.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário