quinta-feira, 24 de novembro de 2022

Câmara de Porto Alegre aprova moção de protesto contra Alexandre de Moraes

 Vereadores dizem que o magistrado cometeu atos contrários à liberdade de expressão

A Câmara de Porto Alegre aprovou, nesta quarta-feira, uma moção de protesto ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes. O movimento ocorre, segundo justificativa, em função dos atos considerados "contrários à liberdade de expressão, a censura e a prisão de parlamentares e ativistas políticos" a mando pelo magistrado. 

A moção foi assinada por 10 vereadores, que contestam, ainda, as últimas decisões de Moraes, como o bloqueio das contas bancárias de empresas e emprensários suspeitos de estarem financiando as manifestações que contestam os resultados das eleições. Segundo os proponentes, a atitude "restringe os direitos e garantias fundamentais protegidos constitucionalmente". A proposta foi aprovada com 17 votos favoráveis e 10 contrários, todos os últimos de vereadores da bancada de oposição.

“Em momento algum contestamos o resultado das urnas eletrônicas. Nossa moção de protesto é sobre a postura indevida daquele que deveria ser o juiz imparcial, o guardião da lei, do processo eleitoral e da constituição, mas se transformou em um militante político, colocando a república de joelhos. Ele sim traz perigo às instituições brasileiras”, defendeu Ramiro Rosário (PSDB), um dos autores da moção. 

Também assinam o documento os vereadores: Fernanda Barth (PRTB), Nadia Gerhard (PP), Alexandre Bobadra (PL), Felipe Camozzato (Novo), Mariana Pimentel (Novo), Mônica Leal (PP), Cassiá Carpes (PP), Cezar Schirmer (MDB) e José Freitas (Republicanos). 


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário