terça-feira, 22 de novembro de 2022

Bale marca de pênalti, e País de Gales busca empate com Estados Unidos no Grupo B

 Inglaterra lidera a chave de maneira isolada após vencer o Irã


No terceiro e último jogo deste segundo dia de Copa do Mundo, os Estados Unidos empataram com o País de Gales por 1 a 1, pelo grupo B, nesta segunda-feira, com gols do centroavante Timothy Weah, para os americanos, e de Gareth Bale, para os galeses.

Com o resultado, os americanos ficam na segunda colocação, empatados com Gales em pontos, mas à frente pelo critério de desempate. Na liderança do grupo está a Inglaterra, que mais cedo, goleou os iranianos por 6 a 2, na outra partida do grupo.

O jogo

A primeira etapa foi marcada muito mais por duelos físicos do que técnicos. Ao todo, foram quatro cartões amarelos distribuídos, dois para cada seleção. Os norte-americanos começaram melhor o jogo e trocavam mais passes no campo adversário. A primeira grande chance do jogo, veio logo aos oito minutos de jogo, em que o goleiro galês, Hennessey, foi obrigado a trabalhar em dois lances na sequência.

Participando de uma Copa do Mundo após 64 anos, a seleção de Gales mostrou muito nervosismo, e não conseguiu criar nenhum lance de perigo. O time até tentava sair jogando para ‘puxar’ a marcação adversária, mas a enormidade de passes errados frustrou as tentativas da equipe, que não conseguiu finalizar em gol nos primeiros 45 minutos.

Aos 35 minutos de jogo, a consistência norte-americana foi premiada. Após um bom pivô de Sargent, Pulisic carregou a bola em velocidade, e encontrou o atacante Timothy Weah livre da marcação, que em toque com o “bico” da chuteira, chutou na saída do goleiro gales para colocar os Estados Unidos na frente do marcador.

O autor do primeiro gol da peleja tem o faro de gols no DNA. Timothy, de apenas 22 anos, é filho do lendário ex-atacante George Weah, presidente da Libéria e melhor jogador do mundo eleito pela FIFA, em 1995, que teve passagens marcantes por PSG e Milan. Na volta para a segunda etapa, os comandados de Robert Page mudaram a postura, e com o placar adverso, se soltaram. Por outro lado, os Estados Unidos assumiram uma postura mais conservadora, esperando os contra-ataques.

Aos 18 minutos de jogo da etapa final, veio, enfim, a primeira grande chance criada por Gales. Após bate-rebate dentro da área, o zagueiro Ben Davies cabeçeou sozinho, para grande defesa de Matt Turner. A pressão galesa continuou, e foi premiada no final da partida. Aos 37 minutos, a estrela do time, Gareth Bale, até então apagado no jogo, foi derrubado na área e sofreu o pênalti.

O próprio foi para a bola, e acertou o canto direito do gol, sem chances para o goleiro adversário. Nas arquibancadas da arena, explosão das “camisetas vermelhas” dos torcedores do país europeu, que lotaram um dos setores do Ahmad Bin Ali. Na segunda rodada do Grupo B, a seleção dos Estados Unidos entra em campo contra a Inglaterra, na sexta-feira (25), às 16h (de Brasília), no Al Bayt Stadium. Os galeses enfrentam o Irã também na sexta, às 7h, no Ahmad Bin Ali.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário