terça-feira, 6 de setembro de 2022

Moraes veta propaganda do governo para mobilizar o comércio na 'Semana Brasil'

 


BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, negou a divulgação de propaganda do governo Jair Bolsonaro (PL) para estimular o comércio a dar descontos em produtos durante "Semana Brasil"

A campanha foi lançada por Bolsonaro em 2019 para funcionar como uma longa Black Friday.

Em resposta a pedido do governo, o ministro afirmou que não há urgência e gravidade para contornar a proibição à divulgação de publicidade institucional nos três meses que antecedem as eleições.

O presidente do TSE disse que o setor privado pode dar publicidade às ofertas.

"Nada impede que o setor interessado assim o promova, com a adoção de outras medidas por parte da Administração Pública que não seja a divulgação da campanha, considerando especialmente se tratar de uma parceria privada", declarou.

No último dia 26, Moraes liberou a propaganda sobre as celebrações de 7 de Setembro. Antes ele havia vetado a mesma peça, mas alegou que houve um erro na primeira decisão.

Bolsonaro quer dar uma demonstração de força no feriado de Independência e aglutinar suas bases eleitorais mais fiéis a menos de um mês do primeiro turno.

A proibição da propaganda sobre a "Semana Brasil" foi assinada em 1º de setembro e publicada nesta segunda-feira (5).

O secretário especial da Comunicação Social do governo, André de Sousa Costa, disse ao TSE que objetivo da campanha da "Semana Brasil" era estimular o consumo "a partir da mobilização do setor varejista".

"A campanha terá um tom de utilidade pública, e apresentará comando de ação claro e de fácil entendimento, com o objetivo de informar, orientar e mobilizar a população para que vá às compras, adotando este comportamento que gera benefícios individuais e/ou coletivos", alegou Costa, no pedido rejeitado por Moraes.

Sob o argumento de violar a Lei das Eleições, o TSE já vetou pronunciamentos do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, com elogios ao trabalho do Brasil no combate à Covid e na campanha contra a varíola do macaco.

Folhapress e Yahoo! Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário