terça-feira, 13 de setembro de 2022

"A democracia repele a noção autoritária do pensamento único", diz Rosa Weber

 Magistrada fez discurso pela democracia durante posse como presidente do Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira

"A democracia repele a noção autoritária do pensamento único", diz Rosa Weber 

ministra Rosa Weber, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que a democracia não convive com o autoritarismo e que "vivemos tempos particularmente difíceis", ao se referir às instituições. "Vivemos tempos particularmente difíceis da vida institucional, tempos perturbadores, de maniqueísmos indesejáveis. O STF não pode desconhecer essa realidade, até porque tem sido alvo de ataques injustos, pecha de ativismo judicial, por quem desconhece o texto constitucional", disse.

As declarações ocorreram durante a sessão de posse dela na presidência da mais alta corte do país. Ela é a terceira mulher a presidir o Supremo. Antes dela, a corte esteve sob o comando das ministras Ellen Gracie, já aposentada, e Cármen Lúcia.

"A democracia, não nos esqueçamos, repele a noção autoritária do pensamento único. A luta pela efetivação e prevalência dos direitos humanos e defesa da democracia não deve ter apenas como palco os tribunais, deve ser esforço da sociedade civil", completou a ministra.

Posse

Rosa assume o comando da Corte pelos próximos 13 meses. Ela deveria ficar dois anos na gestão, mas terá de deixar o posto em razão da idade. A ministra completa 75 anos em 2023, idade máxima para ocupar uma das cadeiras do Tribunal.

A cerimônia de posse começou às 17 horas e contou com a presença de autoridades dos Três Poderes, entre elas o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e da Câmara, Arthur Lira. O presidente Jair Bolsonaro foi convidado, mas decidiu não comparecer.

Os convites foram enviados pela internet ou correspondência. A ministra optou por não entregar pessoalmente para os convidados. O procurador-geral da República, Augusto Aras e a vice, Lindôra Araújo, também compareceram a cerimônia. Ministros do Executivo também estiveram presentes, assim como o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um dos convidados, mas também não apareceu. Ele optou por realizar atos de campanha em São Paulo. O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, também compareceu à cerimônia.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário