quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Equipe das Forças Armadas passa mais de cinco horas em inspeção no TSE

 O acesso ao código-fonte da urna estava liberado para as entidades cadastradas desde outubro do ano passado, segundo o tribunal



Técnicos das Forças Armadas estão há mais de cinco horas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Eles realizam inspeção no código-fonte da urna eletrônica e tiveram acesso autorizado a outras informações. A Corte atendeu pedido do Ministério da Defesa, que solicitou o envio da equipe como parte do processo de fiscalização das eleições.

De acordo com o TSE, as Forças Armadas foram informadas que o acesso ao código-fonte da urna estava liberado para as entidades cadastradas desde outubro do ano passado, mas não manifestaram interesse em realizar o procedimento na época. 

No ofício enviado à Justiça Eleitoral, o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, solicitou que o grupo tenha prazo inicial até o dia 12 deste mês para realizar as avaliações. O documento foi carimbado como prioridade, para ser atendido de maneira "urgentíssima".

Os militares estão acessando os códigos-fontes do Sistema de Apuração (SA), do Sistema de Votação (VOTA), do Sistema de Logs de aplicações SA e VOTA e do Sistema de Totalização (SisTot), que serão utilizados no processo eleitoral de 2022. A solicitação enviada por Paulo Sérgio foi atendida na íntegra.

A previsão é de que os militares realizem ações no TSE até o dia 12 deste mês. Internamente, o Ministério da Defesa não descarta pedir extensão do prazo ou solicitar novas inspeções em outras datas.

Os questionamentos da Defesa sobre a segurança, transparência e integridade do sistema eletrônico de votação tem gerado incômodo na Corte Eleitoral e são vistas como uma agenda para agradar o presidente Jair Bolsonaro. Mas a avaliação é de que não se deve colocar entraves, no momento, para ações de fiscalização, a fim de reduzir as tensões no período eleitoral.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário