segunda-feira, 2 de maio de 2022

PAPINHO MORFÉTICO - 02.05.22

 Sobre o texto da jornalista Martha Medeiros, publicado no jornal Zero Hora, o pensador Alex Pipkin fez a seguinte e oportuna apreciação:


 


 


Nada mais natural, o desgastado papinho morfético “progressista”, em favor da pseudo-democracia e do ilusório Estado de Direito.


A conhecida retórica do presidente fascista, racista e homofóbico, que só agiu dessa forma nos sonhos eróticos, doentios e saudosistas dessa turma, que enche a boca para aludir “democracia e liberdade”, mas que apoia a convivência com leis flácidas, políticas e flexíveis que as contemplem, a fim de limpar suas sujeiras e suas maracutaias. 


 


Essa é a trupe que quer retomar ao trono e deseja exclusivamente o poder, custe o que custar.


Esses são aqueles que sofrem da síndrome de Robin Wood, em que se veste antolhos para a escancarada corrupção, uma vez que líderes populistas e incompetentes implementam políticas públicas ineficientes e irresponsáveis, envernizadas com cliques humanitários e bondosos de curto prazo. De fato, tais iniciativas são bombas-relógio


que estouram logo ali na frente, trazendo o genuíno caos econômico e social, e dizimando as instituições e a coesão social.


 


A Sra. Medeiros é da era do jornalismo que conhece apenas os efeitos da economia - se é que conhece -, que como Frédéric Bastiat dizia, são aqueles impactos que se vê. As nefastas repercussões de médio e longo prazos não são tão transparentes prontamente para todos, muito menos e especialmente para os contumazes sinalizadores de virtudes.


 


A conhecida jornalista faz parte da turma de “intelectuais” que desconhece - muitos, na verdade, odeiam - o mundo real dos criadores de riqueza, e vive arrotando platitudes, esquecendo daqueles que trabalham, e criam empregos e prosperidade para todos.


Fácil escolher, não é mesmo? Recolocar o país novamente nas mãos de bandidos incompetentes que acabaram com a nação, e somente porque temos uma Corte superior Vermelha e comprometida até o pescoço com uma falsa democracia e um Estado de “desdireito”, é que o ex-presidiário, demiurgo de Garanhuns, é candidato à presidência da Republiqueta.


Vergonha alheia, essa jornalista que vomita desejos partidários, desconhecimento econômico e virtuosismos e mentiras românticas, alegar ao presidente eleito democraticamente, autoritarismo e preconceitos quando ela livremente pode opinar, exercendo sua liberdade de expressão para derramar toda a sua bílis e suas insciências.


 


Progressista e republicano mesmo é o larápio que ela deseja ver no Planalto, o analfabeto que tem como um de seus principais pilares de campanha a regulação da mídia nacional. Sim, um verdadeiro progressista!


Não, não surpreende. Posições como a da Sra. Medeiros são manifestações naturais dos vieses de confirmação de meras crenças que se tornaram rochas impenetráveis para todos aqueles que, de alguma forma, lucram com elas. Essas pessoas só conhecem o “seu lado” e não estão dispostas a conhecer e compreender visões conflitantes.


 


A Sra. Medeiros, transparentemente, tenta intimidar todos aqueles que pensam distintamente de seus partidarismos e de suas “verdades” apaixonadas.


Ela e sua turma não conseguem e/ou não querem ver e conviver com indivíduos que pensam diversamente deles, porém este é o caminho que conduz a estupidez.


Sem a interação e o respeito às pessoas que compartilham de outras crenças não há cura para a doença da “superioridade moral e intelectual”. 


Mas não nos preocupemos, muitos já estão vendo claramente, pois a máscara se torna o homem - e a mulher -, porém, a máscara mal ajustada da Sra. Medeiros, faz tempo, já está escorregando.


 


Segue link do texto:https://www.nsctotal.com.br/colunistas/martha-medeiros/uma-escolha-facil



Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário