terça-feira, 17 de agosto de 2021

Em Porto Alegre, surto de coronavírus entre pacientes e funcionários do Hospital Conceição já tem 110 casos confirmados

 


Nesta segunda-feira (16), aumentou para 110 o continente de infectados pelo coronavírus no surto da doença que atinge as dependências do Hospital Conceição, na Zona Norte de Porto Alegre. São 35 funcionários e 75 pacientes – dos quais dez morreram até o último sábado em meio à onda de casos, iniciada em 4 de agosto e confirmada no dia 6.

Os 75 pacientes com resultado positivo para covid estavam internados em 15 setores do hospital. Até a tarde passada, 45 continuavam em enfermarias, seis em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 14 receberam alta e dez não resistiram. Mais da metade desse grupo já havia completado a vacinação (duas doses ou aplicação única).

No que se refere aos 35 funcionários contaminados, a abrangência é de oito setores. Um ainda está hospitalizado, 26 cumprem quarentena doméstica, dois receberam alta e seis voltaram a a trabalhar. Ao menos 29 deles estão com o esquema imunizatório inteiro.

Cerca de 500 indivíduos (350 trabalhadores e 150 pacientes) já foram submetidos a teste, contingente que deve ser ampliado para 1,1 mil.

A instituição aguarda retorno de análises em amostaras enviadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. O objetivo é saber se o surto foi provocado pela variante Delta do coronavírus, mais transmissível e que já se expande pelo Rio Grande do Sul.

O gabinete de gerenciamento de crises da instituição avalia que a tendência agora é de estabilização do surto, que só poderá ser considerado extinto se não surgirem novos casos nas próximas duas semanas.

A análise do quadro epidemiológico levou a direção do Hospital a intensificar medidas restritivas para evitar o agravamento da situação:

– Proibição de visitas até o final do ano;

– Limitação do atendimento de emergência a casos graves, desde que encaminhados por ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

– Suspensão das cirurgias eletivas por 15 dias, exceto operações em especialidades oncológicas;

– Interrupção de exames ambulatoriais de endoscopia, tomografia e medicina nuclear, dentre outros;

– Divulgação, todas as manhãs, de um boletim epidemiológico relativo ao surto de coronavírus na instituição;

– Agendamento de uma nova reunião para esta sexta-feira (13).

Hospital de Clínicas

Outra instituição de saúde de Porto Alegre atingida por surto de coronavírus é o Hospital de Clínicas, localizado em uma área mais central da capital gaúcha. Na semana passada, o comando da casa confirmou oito testes positivos em trabalhadores de sua ala administrativa (apontada como foco de propagação) e mais 14 em outros setores.

O quadro interno sob monitoramento, avaliando que “o cenário é de contenção”, já que não houve mais constatação de ocorrências desde o dia 10 de agosto. Além de novos testes, foram tomadas providências como isolamento de casos suspeitos, trabalho à distância para atividades que podem abrir mão do aspecto presencial, dentre outras.

Vila Nova

Outro hospital que enfrentou surto de coronavírus foi o Vila Nova (Zona Sul), mas tudo indica que o problema está sob controle, sem novos contágios. A onda de casos foi detectada duas semanas atrás, com 18 funcionários e 29 pacientes – total de 47 testes positivos. O foco foi uma das unidades de internação, já reaberta.

Por meio de nota divulgada no site oficial, a Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN) ressaltou que o surto não foi causado pela variante Delta, também conhecida como “cepa indiana”, devido à sua origem:

“O surto de covid já está controlado e não foram identificados novos contágios. As medidas de controle adotadas estão em concordância com os mais recentes protocolos do Ministério da Saúde e com validação dos serviços de vigilância, sendo efetivas em conter a disseminação do vírus, sem propagação para outras áreas do hospital”.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário