domingo, 8 de novembro de 2020

Biden prega união como presidente eleito: "Era da demonização de uns com os outros acaba agora"

Democrata prometeu não poupar esforços para reverter a pandemia da Covid-19



O primeiro discurso de Joe Biden como presidente eleito foi de união e de guerra declarada à Covid-19. O democrata estendeu a mão a eleitores e congressistas republicanos ao pregar trabalho conjunto para mostrar o melhor dos Estados Unidos ao mundo e resolver as crises internas. “A era da demonização de uns com os outros termina agora”, enfatizou.

“Prometo ser um presidente que não vai dividir, vai unir. Um homem que não vê umas dezenas de estados, vê os Estados Unidos da América”, começou Biden, já na abertura de sua fala. “Eu procurei esse cargo para restaurar a alma da América, reconstruir a espinha dorsal desse país. Milhões votaram por essa visão. Agora tenho o trabalho de tornar essa missão real.”

Após agradecer à sua família e exaltar o papel da vice-presidente, Kamala Harris, Biden se dirigiu aos opositores. “A todos que votaram para o Trump, eu entendo o desapontamento. Eu perdi algumas vezes”, citou. “Mas agora, vamos dar uma chance uns aos outros. É o tempo de baixar a temperatura, olhar um para o outro de novo, escutar uns aos outros. Parar de ver os oponentes como inimigos”, sublinhou o presidente eleito. “Esse é o momento de curar na América”, ponderou.

Em seguida, Biden exaltou os preceitos de dignidade e verdade que pretende seguir: “A América nos chamou para marchar com as forças da decência, da bondade, da esperança e da ciência para as grandes batalhas do nosso tempo”, argumentou. “Contra o Covid, para garantir a saúde da família de vocês, para salvar nosso planeta, para manter o clima sob controle. Precisamos dar a todos nesse país uma chance verdadeira”, avaliou.

A seguir, o futuro presidente mirou seus esforços no combate à pandemia do coronavírus. “Nosso trabalho começa em ter o Covid-19 sob controle. Não temos como reparar a economia e restaurar sua vitalidade até ter isso controlado”, definiu.

“Na segunda-feira, vou criar um grupo de cientistas e médicos para um time de transição que combaterá o Covid-19. Não vou poupar esforço para reverter essa pandemia”, projetou. “Eu sou um democrata orgulhoso, mas eu vou governar como um presidente americano. Vou trabalhar duro para quem não votou por mim, assim como para aqueles que votaram.”


Correio do Povo

Trump refuta admitir derrota e diz que venceu eleição


Planalto vê manifestação sobre vitória de Biden como afobação





Nenhum comentário:

Postar um comentário