quinta-feira, 13 de agosto de 2020

China promove austeridade culinária para combater o desperdício de alimentos

Presidente Xi Jinping disse ser necessário manter "a sensação de crise em termos de segurança alimentar"

China promove austeridade culinária para combater o desperdício de alimentos

Os chineses receberam a instrução para pedir menos comida, em uma campanha de austeridade estimulada pelo presidente Xi Jinping, que deseja acabar com o desperdício de alimentos. A tradição chinesa determina que tantos pratos sejam servidos à mesa quanto o número de convidados mais um. Agora, o país é convidado a mudar a regra: um prato por convidado, menos um.
Muitas associações profissionais do setor de restaurante nas cidades de Pequim, Wuhan e Xian tentam agora impor o modelo chamado "N-1". Seus integrantes também são convidados a oferecer em seus menus porções reduzidas.
As iniciativas são motivadas por uma "instrução" publicada na terça-feira por Xi Jinping, que considera "chocante e preocupante" o desperdício de alimentos por parte de seus compatriotas. "Apesar das boas colheitas que o nosso país registra todos os anos, precisamos manter a sensação de crise em termos de segurança alimentar", advertiu o chefe de Estado.
Em um relatório de 2018, a Academia de Ciências da China calculou em quase 100 gramas a quantidade média de comida desperdiçada por pessoa a cada refeição. O protocolo exige deixar a comida no prato ao fim de cada refeição para não dar a impressão de que não há mais nada para comer.
Em pleno auge econômico, a China passou em algumas décadas de períodos de fome ao consumo excessivo de alimentos. Em 2015, a Academia de Ciências Agrícolas calculou em 35 milhões de toneladas a quantidade de comida desperdiçada a cada ano no país de quase 1,4 bilhão de habitantes.
AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário