sexta-feira, 17 de julho de 2020

Campanha de vacinação contra gripe é prorrogada em Porto Alegre

Mobilização na Capital durará até o final dos estoques

Estarão disponíveis cerca de 100 mil doses nos postos de saúde da Capital

A campanha da vacinação contra gripe foi prorrogada novamente em Porto Alegre até o final dos estoques, segundo informou nesta a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Estarão disponíveis cerca de 100 mil doses nos postos de saúde da Capital. A imunização estava prevista para terminar na sexta-feira, mas em função das baixas coberturas em alguns públicos prioritários e do alto estoque de vacinas a prefeitura decidiu pela continuidade da vacinação. As doses seguem disponíveis à população em geral em mais de 100 postos de saúde e não há mais vacinas nas farmácias parceiras - São João, Agafarma e Panvel.
A secretaria destacou a importância de procurar um dos locais de atendimento para garantir a imunização. O alerta é dirigido especialmente aos grupos prioritários que ainda registram baixa adesão. Na manhã de sexta-feira, os postos de saúde da Capital não registraram filas de espera. A procura pela imunização foi baixa tanto na unidade Santa Cecília, na rua São Manoel, no bairro Santana, quanto no posto Santa Marta, no Centro Histórico, e no Centro de Saúde Modelo, no bairro Santana.
Dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) mostram que foram aplicadas 642.492 doses de vacina contra a gripe nos grupos prioritários desde o início da campanha no dia 23 de março, o que representou 89,85% da meta de 715 mil pessoas em Porto Alegre. Com a imunização estendida a outros públicos desde 15 de junho, foram vacinadas mais 70.180 pessoas até quinta-feira, dia 16 de julho.
O Ministério da Saúde informou que a campanha vacinação contra a gripe alcançou 90,2% do público-alvo. Entre os grupos prioritários, os idosos foram os que tiveram melhor desempenho, com cobertura de 119,72%. Entre os grupos prioritários, além dos idosos, os trabalhadores da área da saúde ultrapassaram 100%, alcançando 115,23% do grupo vacinado. Enquanto isso, o grupo com menor cobertura vacinal foi o das pessoas entre 55 a 59 anos que tiveram apenas 58,91% de imunização. As gestantes, tiveram cobertura vacinal de 63,92%, seguidas das crianças até cinco anos, com 64,64%, professores das escolas públicas e particulares, com 74,67% do público vacinado.
Os estados e municípios receberam um total de 79,9 milhões de doses da vacina. Desse total, 81,18% foram aplicadas. Desde o dia 1º de julho, o Ministério da Saúde recomendou aos estados e municípios a estenderem a imunização à população em geral até quando durarem os estoques da vacina, excedentes da campanha. A medida objetiva otimizar o uso das doses da vacina influenza nas localidades que não alcançaram a meta de imunização no público-alvo, que continua sendo prioritário.
Segundo o ministério, as pessoas do público-prioritário, ainda não vacinadas, devem buscar os postos de vacinação para que possam receber a vacina. A vacina da gripe protege contra os três subtipos do vírus influenza de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A imunização é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença e óbitos. Ela não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para Covid-19, já que os sintomas são parecidos.
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário