quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Incêndio em restaurante interdita shopping no bairro Passo d'Areia em Porto Alegre

 Edificação não tem PPCI e foi interditada pelos bombeiros

Tais Teixeira


Um incêndio que começou em um restaurante no Shopping Passo d’Areia nesta terça-feira, por volta das 20h, terminou sem feridos. No momento em que a fumaça começou a tomar conta do prédio de três andares, cerca de 20 pessoas estavam no terceiro piso onde funciona uma escola de dança,mas conseguiram sair a tempo, sem precisar de atendimento.

O restaurante ficava no segundo andar e estava fechado. O corpo de bombeiros interditou o local, que fica próximo ao cruzamento  das avenidas Assis Brasil e Carneiro da Fontoura, no bairro Passo d’Areia, zona Norte de Porto Alegre.

O tenente do 1° Batalhão do Corpo de Bombeiros, Rafael Vieira Cabral, notificou o proprietário do prédio, já que a edificação não tem alvará de plano de prevenção e proteção contra incêndio (PPCI), assim como nenhuma das lojas que operam no local e nem o restaurante onde começou o fogo . “Para ter uma ideia, o restaurante podia ter dois botijões de gás de 13 quilos e tinha seis lá dentro,  enquanto deveria ter uma central de gás", destacou.

 Foto: Fabiano do Amaral

O bombeiro ressaltou que, a principio,  a situação encontrada é ilegal e o predio está interditado. “Devido ao risco que oferece aos empresários, aos trabalhadores e à população, neste momento o prédio está interditado. Para adentrar,  fazer as reformas e seguir com a vida comercial de todos terá que pedir autorização ao Corpo de Bombeiros ”, detalhou. 

O oficial supervisor do dia do Corpo de Bombeiros, capitão Rhomenig Oliveira,  relatou que o dono alegou que a edificação é muito antiga e que estava aguardando orientações do advogado para fazer a regularização do espaço, já que achou muito caro o investimento. “Ele é proprietário do local há 30 anos, contou que na década de 1970 era uma loja de vestidos de noivas que foi se adaptando com o tempo e virou um shopping”,pontuou o capitão, contando a justificativa do dono que se negou a conceder entrevista assim como do dono do restaurante. 

Fogo por dentro

Os  bombeiros salientaram que ao chegarem ao local, o fogo já estava em desenvolvimento e que pelo calor intenso e o material combustível  e sem ter ventilação, acabou subindo e atingiu a escola de dança. O incêndio foi combatido por cerca de uma hora e meia com dois caminhões,duas viaturas, cerca de oito bombeiros e mais de 5 mil litros de água.

Muito abalada e com lágrimas nos olhos, a secretária da escola de dança, Damires de Oliveira, contou que foi tudo muito rápido. “A fumaça tomou conta de tudo, não dava para entender de onde vinha, só deu tempo de pegar meu celular, chamar as alunas e descer”, lembrou.

O segurança Moacir Macedo detalhou que o shopping fecha às 20h, e por volta das 19h40min, ouviu gritos vindo de cima, subiu e se deparou com a situação. “Vi a fumaça preta, peguei o extintor, tentei apagar, mas estava se espalhando muito rápido. Vi que todas desceram e chamei os bombeiros, que chegaram rapido”.  

Síndica do local há 30 anos, Sonia de Oliveira, que não estava no local no momento do incêndio, realçou que isso nunca tinha ocorrido e afirmou que o prédio tem dez salas no primeiro andar, o restaurante no segundo e a escola de dança no terceiro. 

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário