segunda-feira, 26 de dezembro de 2022

"França, pare de chorar", pedem argentinos após reclamações sobre final da Copa

 Petição virtual ultrapassou meio milhão de assinaturas


Uma petição virtual lançada na Argentina pedindo que a França "pare de chorar" ultrapassou meio milhão de assinaturas neste sábado. Foi uma resposta a um pedido francês para repetir a final da Copa do Mundo do Catar, vencida pela Albiceleste na disputa de pênaltis.

"France stop crying" diz em inglês a petição que circula desde sexta-feira na plataforma Change.org e que até as 18h20min (horário de Brasília) deste sábado havia sido assinada por mais de 570.768 pessoas. "Desde que ganhamos a final da Copa do Mundo (no domingo, 18 de dezembro, no Catar), os franceses não param de chorar, reclamar e não aceitam que a Argentina seja campeã mundial", justificou Valentín Gómez, autor da iniciativa, na petição.

O pedido circulou após uma iniciativa semelhante lançada na França para exigir que a final fosse disputada novamente entre a seleção liderada por Lionel Messi e a de seu companheiro de PSG, Kylian Mbappé, que foi noticiada pela imprensa argentina. "A arbitragem estava totalmente vendida, nunca houve pênalti + falta sobre Mbappé no segundo gol", argumentaram no país europeu.

Eles se referiram ao pênalti de Osmane Dembelé sobre Angel Di María que causou o primeiro gol de Messi, também questionaram que uma suposta falta em Mbappé no gol de Di María não foi marcada e que o terceiro gol foi inválido porque os reservas entraram em campo.

As reclamações foram respondidas pelo árbitro polonês Szymon Marciniak, que apitou a final do último domingo, em que a Argentina venceu nos pênaltis (4 a 2 após empate em 3 a 3 em 120 minutos).

Outra reclamação foi manifestada pelo presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noël Graet, em carta enviada ao seu homólogo da Associação Argentina de Futebol (AFA), Claudio 'Chiqui' Tapia, pelos "excessos no âmbito de uma competição esportiva" que segundo ele foram cometidos pelos jogadores argentinos em provocações durante as comemorações, tendo Mbappé como principal alvo.

AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário