sexta-feira, 23 de dezembro de 2022

Ford Maverick une beleza e performance

 Picape se inspira em nome nostálgico para apresentar outro conceito de carro de última geração

Renato Rossi

Frente imponente se inspira nas grandes picapes americanas 

O nome Maverick não soa estranho, vem com certa nostalgia. Foi o sedan grande da Ford lançado nos Estados Unidos em 17 de abril de 1969. Produzido no Brasil de 1973 a 1979, ganhou status pelo design esportivo e pelas versões com o potente motor V8. Hoje é carro valorizado por colecionadores.

Passados 43 anos, o Maverick ressurge no mercado brasileiro como picape média de última geração. Nos EUA, a Ford busca com o nome um apelo “jovem”: rebelde que não se adapta às convenções, faz seu próprio caminho. De fato, as picapes da Ford são desbravadoras e não temem os maus caminhos.

A Maverick, com seu perfil baixo e esportivo, num design bem mais harmonioso que sua rival Fiat Toro, é um sucesso de vendas. Nos EUA, induz a Ford a não aceitar mais pedidos. E a produção será normalizada no primeiro quadrimestre de 2023.

Foram dois dias com uma Maverick cedida pela líder de mercado, a Superauto Ford. Em teste anterior em dez dias de utilização em circuito urbano e rodoviário a Maverick mostrou qualidade superior. O uso urbano é facilitado pelas medidas compactas: 5,07m de comprimento, 1,73m de altura, 1,84m de largura e 3,07m de entre-eixos. É justamente o entre-eixos que gera um habitáculo muito espaçoso e confortável, na perfeita ergonomia do banco do motorista e passageiro; com amplo espaço no banco traseiro.

O design do painel insere ressaltos e refinamento estético. A tela digital no centro do painel permite pareamento com apple car play e android auto. No “cluster”, há mostradores circulares, velocímetro e conta-giros, mais tela digital com informações ao motorista. Tudo muito objetivo e com charme.

A Maverick tem a caçamba mais harmônica entre as picapes médias no Brasil. Também tem perfil rebaixado que combina com a totalidade do design. Mas a suavidade da forma contrasta com a performance vigorosa da Maverick. Leva lá na frente um potente motor 2.0 turbo, à gasolina, com potência de 253 hps e 38.7 kgfm de torque. Trabalha em conjunto com câmbio automático e sequencial de oito velocidades. As retomadas de velocidade são agressivas e o motorista deve ficar atento para não produzir excesso que exija frenagem brusca.

Se for necessário há quatro freios a disco que permitem frenagens rápidas e seguras. Em rodovia, surge a magnífica estabilidade direcional da Maverick, que parece rodar sobre trilhos, enquanto a estabilidade lateral á garantida por suspensões independentes na traseira.

O cartão de visitas da Maverick é a frente inspirada nas impressionantes picapes grandes F150: capô elevado, quadrado que confere imponência à frente. Enfim, nada nesta Maverick parece supérfluo. É tudo orgânico e essencial ao prazer de condução de um carro aventureiro.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário