segunda-feira, 26 de dezembro de 2022

DIGITAL INFLUENCER FRUSTADO

 RETROSPECTIVA

A cada final de ano, o que mais se vê, ouve e lê nos maiores meios de comunicação é a apresentação da RETROSPECTIVA dos acontecimentos que mais se destacaram mundo afora. Pois, levando em conta que as CRÍTICAS, OPINIÕES E COMENTÁRIOS que faço, notadamente pelo fato de serem sempre construídas com base no LIBERALISMO, aí, com toda a certeza, vejo como impossível suprimir qualquer editorial de todos que publico ao longo de cada exercício.


DIGITAL INFLUENCER

Entretanto, considerando que faço parte da categoria conhecida como -DIGITAL INFLUENCER-, que reúne aqueles que se propõe a -FORMAR OPINIÃO- de outras pessoas (seus seguidores) por meio da produção de CONTEÚDOS, devo confessar que tudo aquilo que postei, ao longo de 2022, com a pretensão de esclarecer e/ou influenciar informando que a POLÍTICA ECONÔMICA LIBERALIZANTE proposta e conduzida pelo excelente ministro Paulo Guedes foi extremamente importante e decisiva para a atração de investimentos para o país, resultou em algo pífio e/ou frustrante, a considerar o que mostrou a opção dos eleitores que preferiram a volta de Lula à presidência do Brasil. 

REPROVADO

Portanto, antes de tudo, fazendo uma RETROSPECTIVA DE RESULTADOS OBTIDOS AO LONGO DE 2022, devo admitir que como -DIGITAL INFLUENCER LIBERAL- do tipo que se propõe a -VENDER- e expor as vantagens inequívocas do LIBERALISMO, devo me considerar -REPROVADO-. Mais: com notas extremante baixas, o que prova o quanto fui incapaz de convencer os meus seguidores de que o REGIME COMUNISTA, que está escrito e proposto no PROGRAMA DE GOVERNO DO PT E SEUS ALIADOS, será catastrófico para o Brasil. 

CAUSA E EFEITO

Em meio a tamanha e sofrida frustração, ainda assim não vou desistir da minha tentativa de INFLUENCIAR PESSOAS, com o propósito de mostrar que sem LIBERDADE não há salvação. É necessário ter sempre em mente, como bem já disse Ralph Emerson, que HOMENS E MULHERES QUE ACREDITAM NA SORTE E NAS CIRCUSTÂNCIAS SÃO SUPERFICIAIS; E HOMES E MULHERES FORTES ACREDITAM EM CAUSA E EFEITO. Simples assim. 

CONDENADOS À DESGRAÇA?

A propósito, eis o texto -CONDENADOS À DESGRAÇA?- produzido pelo pensador Roberto Rachewsky, um fervoroso INFLUENCIADOR DIGITAL LIBERAL:


A humanidade precisou de ideias poderosas para prosperar e homens com coragem para implementá-las. A mais importante das ideias é a que defende que precisamos ser livres para pensar e agir de acordo com nosso próprio julgamento. O exercício da liberdade é individual, implica em cada um fazer suas escolhas, assumindo a responsabilidade sobre suas próprias decisões.


Sócrates, o grande filósofo grego, submetia todo tipo de ideia a questionamentos. Por isso, foi acusado de subversão e condenado à morte por decisão majoritária de um tribunal popular. Instado a fugir para o exílio, se recusou por acreditar na validade desse método decisório, conhecido por democracia.


A aceitação da ideia fatalista e determinista de que a vontade majoritária deveria se sobrepor às inquietudes individuais, fez com que Sócrates renunciasse à própria vida.


Poucas décadas depois, Aristóteles teorizou sobre o fato de os seres humanos serem indivíduos, dotados de consciência e livre arbítrio para escolher pensar e agir por conta própria.


Dois milênios mais tarde, John Locke tratou dos direitos individuais inalienáveis e da necessidade de um governo para protegê-los, se uma sociedade quisesse prosperar. 


Anos depois, Thomas Jefferson, James Madison, entre outros, criaram os Estados Unidos da América, a primeira sociedade a reconhecer a soberania do indivíduo sobre a vontade da maioria, ao lançar as bases institucionais para que a livre iniciativa e a propriedade privada fossem protegidas da violência.


Era o império da lei imposto por um governo destinado a defender o direito à vida, à liberdade, à propriedade e à busca da felicidade. Nascia o capitalismo, cujos resultados positivos são auto evidentes.


Por que, então, nos submetemos ainda ao socialismo, cujas ideias só produzem miséria e genocídios, como nos prova a história? Onde estão os brasileiros corajosos para colocar o capitalismo em prática?


Quantos Marcel van Hattem precisaremos para fazermos a nossa Revolução Gloriosa, como fez o holandês William de Orange?  


Quem será o general capaz de liderar a nossa Revolução Americana, como fez George Washington?


As ideias capitalistas não prestam para o Brasil? Ou há os que as rejeitam para poderem saquear quem cria e produz?


O capitalismo, para ser concebido e posto em prática, exigiu o que parece nos fazer falta, boa dose de subversão cultural e homens corajosos.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário