sexta-feira, 9 de setembro de 2022

"Silêncio impera": jornalista gaúcha relata tristeza dos britânicos com a morte de Elizabeth II

 Morando há dois anos em Southampton, no sul da Inglaterra, Sirlei Pastore vivenciou o pesar da população com a partida da mais antiga rainha do mundo



A jornalista Sirlei Pastore mora há dois anos na Inglaterra. Mudou-se para Southampton com a filha e o marido, que atuava numa multinacional britânica. A cidade de pouco mais de 260 mil habitantes fica a 130 quilômetros de Londres, mas o sentimento de tristeza já era percebido nas primeiras horas após o anúncio da morte da rainha Elizabeth II, na tarde desta quinta-feira. 

"Pelas ruas de Southampton o silêncio impera, mas as manifestações de luto devem ser observadas amplamente na manhã desta sexta-feira", observou, lembrando que a notícia começou a repercutir no início da noite, já que a diferença de horário em relação ao Brasil é de quatro horas mais tarde. 

"As manifestações de pesar pelo mundo todo estão sendo transmitidas em tempo real", assinalou Sirlei, referindo-se ao noticiário, que transmitia os momentos mais importantes do reinado e as imagens da população, já em frente ao Palácio de Buckingham para fazer homenagens.

Charles III será o sucessor

O novo rei Charles qualificou nesta quinta-feira, em seu primeiro discurso como monarca, a morte de sua mãe, Elizabeth II, como um "momento de grande tristeza" que será sentido "em todo o mundo". Ele assume o trono deixado pela antiga rainha. 

"A morte da minha querida mãe, Sua Majestade a Rainha, é um momento de grande tristeza para mim e para todos os membros da minha família. Choramos profundamente a perda de uma soberana e uma mãe muito querida. Sei que sua perda será sentida profundamente em todo o país, os reinos e a Commonwealth [Comunidade Britânica], assim como por inúmeras pessoas em todo o mundo", disse o rei, de 73 anos, em um comunicado.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário