terça-feira, 13 de setembro de 2022

Rei Charles III e irmãos velam o caixão de sua mãe Elizabeth II

 Monarca foi velada na catedral de Saint Giles em Edimburgo


O novo rei Charles III e os seus irmãos velaram o caixão da rainha Elizabeth II nesta segunda-feira na Catedral de Saint Giles, em Edimburgo, na Escócia. Milhares de cidadãos desfilam diante da capela para se despedir da rainha, que morreu aos 96 anos no dia 8.

O velório em Edimburgo segue até esta terça-feira, 13, quando o corpo da rainha será levado a Londres para cinco dias de homenagens e funeral. O rei e os irmãos devem passar a noite em vigília em Edimburgo, como parte da tradição da monarquia. Antes, o caixão chegou à catedral depois de uma breve procissão, também chefiada pelos descendentes de Elizabeth. O público recebeu permissão para passar diante do caixão, que permaneceu fechado.

O novo monarca estava vestido com trajes militares e chefiou a procissão a pé do Palácio de Holyroodhouse, em cuja sala do trono ele passou a noite, até o templo. Os irmãos Anne e Edward também usaram uniforme. Andrew foi o único a estar com outros trajes, já que foi despojado das honras militares pela rainha devido às acusações de agressão sexual.

O funeral está marcado para o dia 19. Enquanto isso, o país também prossegue com o protocolo de posse do novo rei, que se reuniu na Escócia com a chefe do governo regional, a independentista Nicola Sturgeon, e esteve perante o parlamento escocês. "A rainha, como tantas gerações de nossa família antes dela, encontrou nas colinas desta terra e nos corações de seu povo um refúgio e um lar", disse Charles aos legisladores escoceses.

Horas antes, Charles III se dirigiu pela primeira vez ao parlamento britânico em Londres. "Não posso deixar de sentir o peso da história ao nosso redor", disse ele aos representantes reunidos em Westminster para uma sessão especial.

Funeral em Londres

Londres se prepara para se despedir de Elizabeth II em um funeral de Estado que acontecerá na segunda-feira, dia 19, na Abadia de Westminster. Um dia antes, os britânicos serão convidados a observar um minuto de silêncio, às 20h (horário local).

Antes disso, a caixão da rainha permanecerá exposto em uma capela para os londrinos poderem se despedir da monarca. A expectativa é de 750 mil pessoas. "A fila provavelmente será muito longa. As pessoas terão que esperar muitas horas, às vezes à noite, com pouca oportunidade de se sentar", alertou o governo.

O funeral da rainha vai contar com a presença de líderes de todo o mundo - entre eles, o presidente Jair Bolsonaro. Durante o seu reinado de 70 anos, ela viu o Reino Unido ter 15 primeiros-ministros.

Novo reinado

Quatro dias depois do falecimento de Elizabeth II, o rei Charles III assume cada vez mais as funções de chefe de Estado e líder da família real. A Escócia foi o primeiro destino de uma série de viagens do monarca pelas nações que fazem parte do Reino Unido. Charles segue para a Irlanda do Norte nesta terça-feira, onde o partido Sinn Fein, que defende a reunificação com a Irlanda, não participou da cerimônia de proclamação do novo rei.

Enquanto isso, as relações internas da monarquia também se modificam com a morte da rainha. O príncipe Harry, de 37 anos, prometeu "honrar" o pai em seu novo papel, suavizando uma relação tensa entre ele, Charles e William, seu irmão mais velho, desde que ele e a esposa Meghan abandonaram a monarquia em 2020 e se mudaram para a Califórnia.


AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário