quinta-feira, 8 de setembro de 2022

O RENASCIMENTO - Gilberto Simões Pires

 DOIS TURNOS

Ontem, um enorme contingente de brasileiros de fé foi às ruas do país todo, de forma espontânea, alegre e cheio de esperança com uma dupla missão em dois turnos: 1- a manhã foi reservada para acompanhar os tradicionais desfiles -civis e militares-, que neste ano comemoraram o BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL; e, 2- a tarde foi totalmente dedicada com o propósito de DEFENDER a -LIBERDADE-.


PERDA DA LIBERDADE

Entre discursos AFIRMATIVOS a SOCIEDADE BRASILEIRA, de forma totalmente ordeira, deixava claro a todo momento o quanto despreza as atitudes tirânicas de alguns ministros do STF. Em todas as manifestações, o que mais se viu e ouviu foi uma clara demonstração de revolta contra a PERDA DA LIBERDADE que vem sendo imposta, incessantemente, pelos péssimos ministros Alexandre de Moraes, Edson Facchin e Luiz Roberto Barroso.


AVANÇO ECONÔMICO E SOCIAL

Como participante -ativo- vestido com as cores do nosso Brasil, encerrei o dia com a sensação de que o país está vivendo a sua ERA DE RENASCIMENTO. E quem puxa esta percepção é o festejado e inconfundível AVANÇO ECONÔMICO E SOCIAL, reconhecido, apontado e saudado mundo afora. 


COMUNISMO

Mais: a multidão de brasileiros que foi às ruas deixou bem claro que além de fazer questão de afirmar o seu PATRIOTISMO também não quer que o Brasil venha a ser governado por COMUNISTAS. Pessoas que têm discernimento do quanto o COMUNISMO é destruidor, sabem que em todos os países comunistas INEXISTE A LIBERDADE. 


PRIME NEWS



PETRÓLEO



Os preços do petróleo caíram acentuadamente, aprofundando uma liquidação que já trouxe alívio aos motoristas na bomba de gasolina. Nos Estados Unidos, a queda foi de 5,1%, para US$ 82,41 o barril nas negociações recentes. Esse é o menor preço intradiário desde 24 de janeiro. O valor representa uma diminuição de mais de um terço, desde o início de março, quando o valor do barril atingiu brevemente US$ 130.


 


 


AVANÇO ECONÔMICO


 


OBSERVAÇÃO OPORTUNA FEITA PELO ECONOMISTA/PENSADOR IGOR MORAIS 


Provável que vocês já viram as diversas notícias sobre o PIB do Brasil no 2T22 com +1,2% sobre o 1T22, o que corresponde a +4,88% em termos anualizados. Essa forma de avaliar o PIB do trimestre é muito usada nos EUA. Então, podemos afirmar que o Brasil cresceu a uma taxa que só perde para o 2T13, que foi de 1,4% sobre o 1T13. Claro, estou retirando os resultados do 3º e 4º trimestre de 2020 pois sofreram o efeito estatístico da pandemia. Um resultado surpreendente, não só pela magnitude, mas por completar 4 trimestres consecutivos de elevação. Mas há outras duas estatísticas que gostaria de explorar. A primeira diz respeito a taxa de investimento, a relação entre o que foi investido sobre o PIB. Sabemos da macroeconomia que a melhor forma de crescer é via investimento e que taxas acima de 20% conseguem viabilizar crescimento entre 2,5% a 3% ao ano. Veja, pelo gráfico, que poucas vezes tocamos ou ultrapassamos esse patamar. Isso porque o Brasil sempre enfrentou problemas relacionados a juros reais elevados com a concorrência dos gastos do Governo, que acabam consumindo os recursos da economia. Mas atualmente o cenário parece ser diferente. Os investimentos completaram 5 trimestres com taxa acima de 20%. Os outros dois componentes importantes do gasto dão o tom do modelo de crescimento atual do Brasil. O consumo das famílias está estável em 67,5% ao passo que o gasto do Governo atingiu seu menor patamar em toda a história, 17,5% do PIB. Em resumo: O Brasil cresce com mais investimentos e menos gasto público, uma combinação saudável, mesmo em um momento de juros nominais elevados. O desafio para os próximos anos é continuar, e até aprofundar, esse modelo, elevando os investimentos para perto de 22% a 23% do PIB e de forma consistente, mantendo a trajetória de redução do gasto público.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário