segunda-feira, 19 de setembro de 2022

IGNORÂNCIA E O DESCONHECIMENTO: OS ALIADOS DA ESQUERDA

 USAM E ABUSAM

O cultivo da IGNORÂNCIA E DO DESCONHECIMENTO sempre foi a arma mais utilizada pelos políticos de ESQUERDA para atrair, com razoável taxa de sucesso, a confiança de seus pobres eleitores. E em períodos de campanha eleitoral, como estamos vendo, lendo e assistindo a toda hora, aí todos os partidos e candidatos da ESQUERDA não deixam por menos: USAM E ABUSAM -como nunca- das mais variadas, absurdas e escandalosas MENTIRAS para obter votos de eleitores que detém baixa capacidade para discernir. 


ANALFABETISMO

Exemplos deste triste e lamentável expediente de enganação desses pobres e ignaros eleitores abundam, principalmente, nos estados e municípios onde reina o ANALFABETISMO, tanto o -ABSOLUTO- (indivíduo recebeu pouca ou nenhuma orientação para ler e escrever, sendo que a maioria não consegue nem mesmo assinar o próprio nome); quanto o -FUNCIONAL- (indivíduo que, embora saiba reconhecer letras e números é incapaz de compreender textos simples, bem como realizar operações matemáticas mais elaboradas). 


POPULISMO

Vejam que não por acaso as pessoas desprovidas da capacidade de discernimento são, inevitavelmente, as maiores e certeiras vítimas do POPULISMO. A propósito disso, na semana passada, em discurso que proferiu num comício em Taboão da Serra, SP, o candidato Lula Ladrão disse, textualmente, o seguinte:  - “Eu quero é que vocês possam entrar no açougue e comprar carne. Por isso nós vamos ter que discutir o preço da carne nesse país. Nós vamos discutir se vai continuar só exportando ou se vai deixar um pouco para nós comermos”.


ARGENTINA

Ora, sem tirar nem pôr, recentemente o presidente da Argentina - um ESQUERDISTA DE MÃO E PÉS CHEIOS -, tratou de proibir exportações de carne. O resultado, que nada tem de novidade, se mostrou totalmente negativo para a economia daquele país. Ao invés de tornar a carne mais barata para a população, o preço aumentou 20%. Como bem informa a Gazeta do Povo: - Os argentinos convivem com novos limites às exportações de carne desde maio de 2021. Estão suspensos os embarques de sete cortes de carne bovina até o final de 2023, sob o pretexto de reservar o produto para o mercado interno. É a repetição de uma estratégia adotada em 2006, que acabou reduzindo o rebanho do país, sem resolver o problema de preços e consumo. Os preços caem num primeiro momento, depois de alguns meses voltam a subir. Há cem anos, desde 1920, o consumo de carne per capita não chegava a níveis tão baixos no país vizinho.


LIQUIDARAM O REBANHO

A Argentina é um exemplo clássico de que essa política dá muito errado. Segundo informa Lygia Pimentel, diretora da consultoria Agrifatto, SP, - o consumo per capita caiu de 68 kg para 41 kg. E se pegar os números atualizados, em 2022, por causa da crise, deve estar por volta de 37kg ou 35 kg per capita. O que aconteceu? Ora, os produtores argentinos simplesmente LIQUIDARAM O REBANHO. Além do preço da carne ter subido e o consumo ter caído, houve uma QUEBRA DA INDÚSTRIA ARGENTINA:  Menos gente empregada, menos recolhimento de impostos, menos investimentos. 


LISTA DE CANDIDATOS

DE NOVO: Eis aí a -MINHA- LISTA DE CANDIDATOS PARA OS PODERES -EXECUTIVO E LEGISLATIVO. 


1- PRESIDENTE DA REPÚBLICA: JAIR BOLSONARO- 22.


2- GOVERNADOR DO RS, meu Estado: ONIX LORENZONI- 22.


3- SENADOR DO RS: HAMILTON MOURÃO-100. 


4- DEPUTADO FEDERAL DO RS: MARCEL VAN HATTEM-3030; FÁBIO OSTERMANN-3000; FELIPE PEDRI-2228; LASIER MARTINS-1901; OSMAR TERRA-1522; SANDERSON-2210. 


5- DEPUTADO ESTADUAL DO RS: DRA. ANA CORONEL-30230; FABIANO RHEINHEIMER-22210; FELIPE CAMOZZATO-30000; FERNANDA BARTH-20022; GIUSEPPE RIESGO-30500; GUSTAVO VITORINO-10022; RAMIRO ROSÁRIO-45200; RINALDO-22250. 


PRIME NEWS



IPI



O ministro Alexandre de Moraes revogou, enfim, a liminar que suspendia o Decreto 11.158/2022, editado pelo governo federal, que detalhou os produtos fabricados no Brasil e sujeitos à redução de 35% do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Segundo a decisão, fica válida a redação do dia 24 de agosto, que retira os itens fabricados concorrentemente na Zona Franca de Manaus e em outros polos industriais brasileiros.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário