terça-feira, 6 de setembro de 2022

Chefe da comunicação do Planalto detalha preparação para celebrações do 7 de setembro

 André Costa declarou que as comemorações não terão abordagem política e ficarão restritas ao espírito patriótico


No ano passado, devido á pandemia da Covid-19, o desfile de 7 de setembro não foi realizado, mas o presidente Jair Bolsonaro (PL) reuniu apoiadores em um ato político na Esplanada dos Ministérios e na Avenida Paulista, em São Paulo. Em entrevista à Jovem Pan News, secretário de comunicação da presidência, André Costa, declarou que neste ano as comemorações não terão abordagem política e ficarão restritas ao espírito patriótico: “O governo tem tomado bastante cuidado com relação à observância da legislação eleitoral. Tanto que não há contestação das atividades realizadas pelo governo. Muitos tem falado que é um ato político. Não tem nada a ver. O presidente desde sempre demonstra que é um patriota. Chamar a população para celebrar os 200 anos da pátria não é mais do que a obrigação de qualquer chefe de Estado. Elevar o sentimento patriótico, em uma data tão especial, coincide com o ano eleitoral. Ainda bem que esse ano pudemos ter desfile para comemorar essa data tão significativa para nós”.

A celebração do 7 de setembro neste ano é especial pelo Bicentenário da Independência do Brasil. As festividades já começaram há algumas semanas, com a chegada do coração de Dom Pedro I ao Brasil. Exposto no Palácio do Itamaraty, o órgão do imperador que declarou a independência em 1822 é conservado em formol e guardado pela igreja portuguesa. A relíquia saiu de Portugal pela primeira vez em 187 anos. Junto com o coração, chegou em Brasília a Exposição do Bicentenário, que está no Palácio do Planalto. A partitura original do hino do Brasil é um dos objetos do império que fazem parte da coleção. A cerimônia do 7 de setembro é realizada todo ano na Esplanada dos Ministérios. Como parte da celebração, o presidente da República é reverenciado pelas Forças Armadas em um desfile. Estudantes representam os civis. A comemoração atrai turistas de vários lugares do Brasil e cerca de 30 mil pessoas devem acompanhar o evento das arquibancadas. Entre elas, representantes do legislativo e judiciário, profissionais da imprensa e embaixadores. No total, 250 mil pessoas devem acompanhar o desfile, a maioria no gramado do Congresso Nacional, onde a Polícia Militar reforçou a segurança. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis informou que há dois dias do evento 70% das ocupações foram reservadas.

De acordo com o secretário de comunicação da presidência, os protocolos de segurança do presidente da República permanecem os mesmos e não há motivos para preocupações: “O esquema de segurança para o evento de 7 de setembro já é tradicional, então o planejamento não difere muito. Temos forças da Polícia Militar do DF, do Corpo de Bombeiros, Detran e Defesa Civil empregados, como é nos outros anos. Para garantir a segurança de todos, os órgãos de inteligência do governo trabalham com pelo menos sete mecanismos de segurança: o fechamento do trânsito na esplanada, a partir desta terça-feira, 6; snipers no alto de prédios, equipe anti-bombas no local; monitoramento de redes sociais; monitoramento de rodovias; restrição a drones e a revista aos participantes do evento.



*Com informações da repórter Marília Sena

Jovem Pan

Nenhum comentário:

Postar um comentário