segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Bolsonaro é recepcionado em Londres pelo rei Charles III

 Encontro se deu durante uma recepção oferecida pelo monarca na tarde deste domingo, no Palácio de Buckingham

Bolsonaro acompanha funeral da rainha em Londres 

Em Londres, o presidente Jair Bolsonaro (PL) se reuniu com o novo rei da Inglaterra, Charles III, que assumiu o trono após o falecimento de sua mãe, a rainha Elizabeth II. O encontro se deu durante uma recepção oferecida pelo monarca na tarde deste domingo, no Palácio de Buckingham, na capital britânica, e contou com a participação de outros chefes de estado.

Bolsonaro chegou na capital britânica na manhã deste domingo para participar das celebrações em torno da despedida da rainha da Inglaterra Elizabeth II, que morreu no dia 8 deste mês, na Escócia. O líder brasileiro visitou a Câmara Ardente e assinou o Livro de Condolências - a assinatura faz parte do protocolo de funeral da realeza.

Após passar pelo caixão da rainha, o presidente prestou condolências à família real e ao povo do Reino Unido. "Nossos sentimentos à família rainha e ao povo do Reino Unido. No Brasil, temos forte em nossa lembrança ainda sua passagem por lá, em 1968. Por tudo que ela representou para o seu país e para o mundo, o momento é de pesar e de reconhecimento de tudo que ela fez pelo mundo", disse Bolsonaro.

Depois das celebrações, Bolsonaro seguirá para Nova Iorque, nos Estados Unidos, no final da tarde desta segunda-feira, para participar da Assembleia Geral das Nações Unidas, na terça-feira. Tradicionalmente, o representante do Brasil é o primeiro a discursar na cerimônia, que reúne as lideranças de 193 países.

Em seu discurso na abertura da 77ª sessão da Assembleia-Geral das Nações Unidas, nos Estados Unidos, no próximo dia 20 de setembro, Bolsonaro mencionará a guerra na Ucrânia, além das consequências econômicas e sanitárias da pandemia de Covid-19. Ele também pretende defender a segurança alimentar global e o meio ambiente.

Durante o evento, Bolsonaro se reunirá de forma bilateral com os presidentes do Equador, da Guatemala, Polônia e Sérvia, Guilherme Lasso, Alejandro Giammattei, Andrzej Duda e Aleksandar Vučić, respectivamente. O líder brasileiro se encontrará, ainda, com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. Não há previsão de compromissos com chefes de grandes potências mundiais.

Enquanto isso, o senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Congresso Nacional, assume a presidência da República do Brasil por quatro dias durante as viagens internacionais de Bolsonaro, do vice-presidente, Hamilton Morão (Republicanos-RS), e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Pacheco é o terceiro na linha de sucessão presidencial e é a terceira vez que assume o cargo. A legislação brasileira determina que candidatos não podem assumir o cargo de presidente seis meses antes das eleições. Mourão disputa uma vaga ao Senado pelo Rio Grande do Sul, e Lira, segundo na linha de sucessão, tenta a reeleição ao cargo de deputado federal.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário