terça-feira, 13 de setembro de 2022

Bolsonaro assina livro de condolências da morte da rainha Elizabeth II

 Para o presidente, Elizabeth II deixou um ‘legado de liderança e estabilidade para o povo britânico e para o mundo’



O presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou nesta segunda-feira, 12, o livro de condolências pela morte da rainha Elizabeth II. Para Bolsonaro, a monarca deixou um “legado de liderança e estabilidade para o povo britânico e para o mundo”. Ele compareceu à Embaixada do Reino Unido junto com sua esposa, a primeira-drama Michelle Bolsonaro. O presidente viajará para o funeral da rainha, que ocorrerá no dia 19, segunda-feira. A monarca morreu aos 96 anos de idade na quinta-feira, 8, no castelo de Balmoral, na Escócia. O corpo da rainha será sepultado no Castelo Windsor. Ela será sucedida pelo seu filho mais velho, o rei Charles III. “Em nome do governo e do povo brasileiro, expresso as mais profundas condolências ao povo do Reino Unido, bem como à família real e ao rei Charles III, pelo falecimento da rainha Elizabeth II”, escreveu. Em seguida, o presidente expressou sua admiração pela monarca, dizendo que ela foi uma mulher de “grande personalidade”. “Manifesto minha admiração por uma mulher de grande personalidade cujo senso de dever e devoção deixaram, ao longo de mais de sete décadas de reinado, um legado de liderança e estabilidade para o povo britânico e para o mundo”, completou.

O Itamaraty confirmou a presença do presidente na cerimônia neste domingo, 11. Após o funeral, Bolsonaro embarca para Nova Iorque. Ele participará da abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 20 de setembro. O livro de condolências foi aberto para assinaturas na semana passada. Ele seguirá disponível para assinaturas de segunda a sexta-feira, das 10 às 12 horas e das 14 às 16 horas, na embaixada do Reino Unido, em Brasília, até a realização do funeral. Um livro virtual de condolências foi aberto pelo Palácio de Buckingham.

Jovem Pan

Nenhum comentário:

Postar um comentário