quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Senado dos EUA ratifica adesão de Suécia e Finlândia à Otan

 Países decidiram abandonar neutralidade por causa da invasão russa da Ucrânia



O Senado dos Estados Unidos ratificou, nesta quarta-feira (3), os protocolos de adesão de Finlândia e Suécia à Otan, depois que os dois países decidiram abandonar a neutralidade por causa da invasão russa da Ucrânia.

A resolução, apoiada pelo governo de Joe Biden, foi aprovada por uma ampla maioria, com 95 votos a favor e um contra. Eram necessários os votos de pelo menos dois terços dos senadores (67 de 100) para aprovar o texto.

"Esta votação histórica é um sinal importante do compromisso duradouro e transparente dos Estados Unidos com a Otan e da vontade de garantir que nossa Aliança esteja preparada para enfrentar os desafios de hoje e de amanhã", disse o presidente americano, Joe Biden, em comunicado.

Com a ratificação nos Estados Unidos, 23 dos 30 países da Otan já apoiaram formalmente a adesão dos dois países nórdicos à aliança de defesa transatlântica. Nesta quarta, a Itália também deu o seu sinal verde, enquanto a França o fez ontem.

O presidente russo, Vladimir Putin, "tentou usar a guerra na Ucrânia para dividir o Ocidente. Em vez disso, a votação de hoje mostra que a Aliança está mais forte do que nunca", declarou o chefe da maioria democrata no Senado, Chuck Schumer.

Todos os países da Otan devem ratificar os protocolos de adesão para que entrem em vigor e para que a Finlândia e a Suécia beneficiem-se do artigo 5º do tratado de 1949, que prevê uma resposta comum em caso de agressão contra um dos membros da Aliança.

O maior obstáculo à sua incorporação é a ameaça da Turquia de "congelar" o processo devido à suposta benevolência dos países nórdicos para com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e seus aliados, que Ancara considera terroristas.

AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário