quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Mara Gabrilli é confirmada como vice na chapa de Simone Tebet

 Nome da senadora foi confirmado nesta terça-feira, após negociação entre líderes do MDB, Cidadania e do PSDB



A senadora Mara Gabrilli (PSDB) foi anunciada, nesta terça-feira, como candidata a vice na chapa encabeçada pela senadora Simone Tebet (MDB) na corrida ao Palácio do Planalto. O anúncio foi feito no diretório do PSDB em São Paulo. 

"Eu estou lisonjeada por ter uma mulher como a Simone me convidando para ser vice dela. O Brasil pode ser diferente. Juntos, com coragem, vamos mudar o Brasil. Não existe limite quando se tem coragem e noção do que é a inclusão", disse Gabrilli.



A senadora também citou o trabalho de Tebet durante a CPI da Pandemia, criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) e disse que é urgente "transformar o país e acabar com a fome". 

A chapa é fruto de uma aliança firmada entre os tucanos, o MDB e o Cidadania. "Essa construção mostra a força da mulher brasileira. Essa chapa é uma construção política, não é um momento de improviso ou arrumadinho político, é uma construção simbólica de uma chapa que vai entrar para a história do Brasil", afirmou o presidente do PSDB, Bruno Araújo. 

Em seu discurso, Tebet disse que a política não é um ambiente fácil para mulheres. "O Brasil precisa de uma voz moderada de equilíbrio, sensatez, dizer basta de ódio e de polarização nesse país", disse a candidata ao Planalto.

Levantado como o possível vice de Tebet  na chapa, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) comentou que a escolha por Mara Gabrilli foi uma decisão pensada e conversada. "Hoje, vivemos um momento muito difícil, com o país dividido e ameaças à nossa democracia e instituições são constantes. Reunimos aquilo que de melhor nós poderíamos e que representasse essa mudança de ambiente", disse. "Somente o amor e a docilidade da mulher podem unir esse país", finalizou.

"Uma chapa de duas mulheres não é que é contra os homens, mas que é a favor da humanidade. Tudo isso acontece em um momento crucial do país, estamos falando muito em unir o país, não é unir para impedir pensamento democráticos, mas ao contrário, queremos unir para que isso continue existindo", disse Roberto Freire, presidente do Cidadania. 

Também presente na mesa, o ex-ministro da Saúde José Serra (PSDB) disse que a "luta vai ser dura", mas que se chegarem ao Planalto, Tebet e Gabrilli vão "tirar o Brasil da pobreza". "Muita coisa boa se soma aqui, a Simone foi colega no Senado, sou testemunha do trabalho dela. Ela é filha de um político matogrossense, bem preparada. E a Mara conhece muito as questões das pessoas com problema de saúde", elogiou.

Mara Gabrilli foi eleita senadora pelo estado de São Paulo nas eleições de 2018 com 6.201.878 votos. A senadora ficou tetraplégica após sofrer um acidente de carro em 1994. Defende os direitos das pessoas com deficiência desde 1997, foi secretária da Pessoa com Deficiência em São Paulo, vereadora e deputada federal.

R7 e Correio do Povo


Corinthians oferece pagar 100% do salário de Luan para emprestá-lo ao Santos


Serra Gaúcha tem dois casos confirmados de varíola do macaco


Luiz Fernando marca e Atlético-GO vence o Nacional na estreia de Suárez


O musical "Pink Floyd - The Wall Live" chega ao Brasil pela primeira vez

Nenhum comentário:

Postar um comentário