quarta-feira, 3 de agosto de 2022

China convoca embaixador dos EUA por visita de Pelosi a Taiwan

 Presidente da Câmara dos Representantes é a mais alta autoridade americana a visitar a ilha em 25 anos


A China convocou, nesta terça-feira (2), o embaixador dos Estados Unidos em Pequim, em resposta à chegada em Taiwan da presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, informou a mídia estatal.

Durante a conversa com o embaixador Nicholas Burns, o vice-ministro de Relações Exteriores chinês, Xie Feng, expressou "fortes protestos" pela visita da legisladora americana à ilha autônoma, que a China considera parte de seu território.

"A medida é extremamente ultrajante e as consequências são extremamente sérias", disse Xie à agência de notícias estatal chinesa Xinhua. "A China não ficará de braços cruzados", acrescentou.

A viagem de Pelosi, a mais alta autoridade dos Estados Unidos a visitar Taiwan em 25 anos, alimentou as tensões entre as duas maiores economias do mundo, com Pequim chamando a visita de uma grande provocação.

Xie disse que os Estados Unidos "pagarão o preço de seus próprios erros" e pediu a Washington que "aborde imediatamente seus erros e tome medidas práticas para desfazer os efeitos adversos causados pela visita de Pelosi a Taiwan", informou a Xinhua.

A democrata chegou a Taiwan nesta terça-feira à tarde, desafiando abertamente as advertências chinesas.

"Taiwan é Taiwan da China, e Taiwan acabará voltando para o abraço da pátria. O povo chinês não tem medo dos fantasmas, a pressão e o mal", disse Xie a Burns, de acordo com a Xinhua.

Não houve comentários imediatos de Washington.


AFP e Correio do Povo


Dupla execução provoca tumulto e deixa uma mulher ferida em Porto Alegre


Leite entra em campo para evitar saída do União Brasil da coligação


Taiwan informa 21 incursões aéreas chinesas no dia de chegada de Pelosi


STJ confirma que Rio deve indenizar família do pedreiro Amarildo

Nenhum comentário:

Postar um comentário