quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Bolsonaro reitera que governo não interfere na política da Petrobras

 Presidente destacou em entrevista à Rádio Guaíba que sua gestão tenta se antecipar a problemas



O presidente Jair Bolsonaro concedeu entrevista à Rádio Guaíba nesta terça-feira e falou sobre a recente redução do combustíveis. Ao se manifestar durante o programa Agora, Bolsonaro reiterou que seu governo não influencia as ações da Petrobras. 

"Não interferimos na política de Petrobras. Eu zerei o imposto federal da gasolina, etanol e do diesel. A redução dos impostos veio com o estabelecimento do teto do ICMS e quem influencia isso são os governadores. O Congresso e o Parlamento decidiram colocar um teto. Eu sei que no primeiro momento houve relutância, alguns estados do Nordeste foram contra isso, mas acabou se tornando uma realidade", disse Bolsonaro.   

O chefe de Estado destacou ainda que o governo agiu para colaborar com os estados que atuam como produtores de etanol. "Nós lutamos, por mais de um ano, e conseguimos aprovar a venda direta do etanol. Não tem mais intermediário. A partir daí, o preço em alguns locais já está abaixo dos R$ 4. É mais uma medida tomada antes da crise, antes da guerra  da Ucrânia", salientou. 

Questionado sobre a relação com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e se ela pode ir além dos quatro anos, Bolsonaro disse que o relacionamento não tem um prazo previamente definido. "O nosso casamento não tem data de validade. Eu passei por momentos difíceis", comentou antes de dizer que tenta manter a rédea curta com os comandantes dos ministérios. "Eu perturbo todo mundo. Tiro print e mando para todo mundo. Peço para tomar providência quando algo está fora do lugar e prejudicando o povo. A gente faz a nossa parte e tenta se antecipar aos problemas. Eu não dou sossego para ministro, nem para secretário. Eu sou o técnico e apenas distribuo missões", acrescentou. 

Bolsonaro ainda disse que a Lei da Liberdade Econômica facilitou a vida de muitos empreendedores. "Antes dessa lei, uma pessoa que tinha pequenos negócios demorava muito tempo para simplesmente começar a trabalhar. Isso eu considero uma grande vacina, essa política de desburocratização. São centenas de decretos e portarias que foram revogadas. Ajudamos o empresariado nesta questão e estimulamos as pessoas a trabalhar", sublinhou. 


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário