segunda-feira, 9 de maio de 2022

Apps de antivírus no celular podem causar mais danos do que um vírus

 


Baixar um antivírus gratuito em um smartphone Android, mesmo os mais bem classificados na Google Play Store, pode causar mais danos do que deixar o aparelho sem um software protetor. É o que constatou uma pesquisa organizada pelo Cybernews, divulgada na última terça-feira (3).

Segundo o levantamento, muitos dos antivírus disponíveis no mercado contêm rastreadores de dados e até links para domínios maliciosos. Na compilação, a Cybernews estudou os 40 aplicativos de limpeza e antivírus mais bem classificados na Google Play Store e os resultados foram desastrosos em termos de danos: muitos desses apps não atendem aos altos padrões de software semelhantes em um desktop.

“Como esses apps são intimamente relacionados à segurança e privacidade, esperávamos que eles estabelecessem o mais alto padrão possível. No entanto, não foi este o caso, pois apenas dois apps não continham rastreadores”, disse um porta-voz da equipe de pesquisa.

Para piorar, os apps foram instalados mais de 918 milhões de vezes e os mais populares têm mais de um milhão de downloads cada. Isso acontece, segundo os pesquisadores, porque os usuários medianos do Android querem proteger seus telefones de qualquer jeito e manter seus dispositivos funcionais limpando caches e arquivos inúteis.

“Usuários menos em tecnologia provavelmente baixarão um app para fazer esse trabalho tedioso de forma automática”, diz a pesquisa. “No entanto, muitas das opções gratuitas têm um preço oculto: os dados do usuário são rastreados, vendidos ou gerenciados de forma insegura em função de práticas questionáveis de codificação e privacidade.”

Tabela com os antivírus que mais causam danos
Cybernews compilou os antivírus mais problemáticos na Google Play Store: Safe Security ficou com a pior pontuação (Reprodução/Cybernews)

33% dos apps condenados por “práticas de codificação questionáveis”

Após investigar cada um dos 40 apps, a Cybernews estabeleceu uma pontuação de segurança — máximo de 100 pontos — para cada um. Treze dos 40 antivírus (33%) foram considerados tão repletos de danos à privacidade que obtiveram a nota mais baixa possível devido a “práticas de codificação questionáveis”, enquanto seis — Dr. Capsule Antivirus, Go Security, Virus Hunter 2021, AVC Antivirus & Virus Cleaner, Fancy Booster e Phone Junk — continham possíveis links maliciosos.

O antivírus Keep Clean Cleaner foi o maior pontuador (54 pontos), à frente de Fancy Booster (46) e Clean Guard Phone Cleaner (41), enquanto o Safe Security Antivirus ficou com a lanterna, com apenas nove pontos. Os resultados são preocupantes porque tanto o primeiro colocado quanto o último possui ao menos 100 milhões de downloads registrados.

Segundo a Cybernews, dois dos 40 apps não foram analisados devido a ofuscação — um método empregado por desenvolvedores para evitar engenharia reversa. Neste sentido, porém, o procedimento pode ser utilizado para ocultar um malware. Boa parte dos aplicativos também trazem rastreadores. Só o Nova Security, por exemplo, tinha 30.

Crédito da imagem principal: McLittle Stock/Shutterstock

Leia mais:

Olhar Digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário