domingo, 15 de agosto de 2021

Terremoto deixa rastro de destruição no Haiti

 Governo declarou situação de emergência devido à tragédia



Como se não bastasse a crise humanitária, o Haiti foi atingido neste sábado por um terremoto que abalou ainda mais o país. O tremor, de magnitude 7,2, deixou um rastro de destruíção no território, provocando a morte de mais de 300 pessoas, segundo último balanço da Defesa Civil. Até as 1h (horário de Brasília), foram contabilizadas 304 fatalidades, além de 1,8 mil pessoas feridas. 

O tremor sacudiu o país por volta das 8h30min (9h30min no horário de Brasília), a 12 quilômetros da cidade de São Luís do Sul, localizada a 160 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe, segundo dados do Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS). E chegou a ser sentido também na República Dominicana e em Cuba, tendo uma réplica com magnitude de 5,2 graus, a 17 quilômetros da localidade de Chantal.

Situação dramática

O primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, classificou a situação do país como "dramática" e declarou estado de emergência. Em uma mensagem publicada no Twitter, o premiê clamou pelo "espírito de solidariedade e compromisso de todos os haitianos", para enfrentar "esta situação dramática que vivemos atualmente."

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, autorizou uma "resposta americana imediata" para ajudar o Haiti após ser informado sobre o terremoto. Ele também nomeou a diretora da Agência dos EUA para o desenvolvimento (Usaid), Samantha Power, como alta executiva para coordenar esse esforço.

"Todas as coisas caindo"

O tremor foi sentido em todo o país e danos materiais já foram registrados em várias cidades, segundo imagens postadas nas redes sociais por testemunhas no sudoeste da ilha.

"Eu estava dentro da minha casa quando tudo começou a tremer, estava perto de uma janela e vi todas as coisas caindo", relatou à AFP Christella Saint Hilaire, de 21 anos, que mora perto do epicentro do terremoto.

"Um pedaço de parede caiu nas minhas costas, mas não me machuquei muito", continuou a jovem. "Várias casas desabaram completamente", assegurou.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário