quinta-feira, 8 de julho de 2021

Brasil é o 3º país no mundo que mais vacina por dia em doses totais

 


O Brasil é o 3º país no planeta a aplicar mais vacinas anticovid por dia em números absolutos. Na última semana, o País injetou, na média, 1,41 milhão de doses diariamente na sua população. Neste critério, China (18,69 milhões) e Índia (4,21 milhões) lideram o ranking.

No cálculo proporcional, ou seja, na relação por 100 habitantes, porém, Brasil é o 45º colocado, com 0,66 injeção aplicada, em média, por dia, no espaço de uma semana.

A Ilha de Nauru e a Islândia são os líderes do ranking mundial, vacinando por dia 2,1 e 2,04 pessoas a cada 100 habitantes em um intervalo uma semana.

Os dados foram reunidos com base no Our World in Data, plataforma alimentada por pesquisadores da Universidade de Oxford, do Reino Unido.

A análise dos sites de monitoramento, nacionais e internacionais, indica que a aceleração da campanha de vacinação, com recorde de imunização em um único dia, e a constância na quantidade de doses aplicadas, sinaliza evolução. Vale ressaltar, ainda, que o país atingiu na última semana a marca de 100 milhões de doses de vacinas contra covid-19 aplicadas.

Entretanto, o número de pessoas que receberam a proteção completa prometida, com duas doses ou a dose única, demonstra que o caminho ainda é longo para o controle da pandemia.

Promessa mantida

Na última semana, o ministro Marcelo Queiroga afirmou que o Brasil receberá mais 160 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até o fim de setembro.

“No mês de setembro, nós vamos imunizar toda a população brasileira acima de 18 anos com a primeira dose da vacina. E até o final do ano, teremos toda a população acima de 18 anos imunizada com as duas doses da vacina”, disse Queiroga, ao manter o compromisso que já havia firmado anteriormente.

Transmissão

A taxa de transmissão do coronavírus no Brasil caiu para 0,91, segundo o Imperial College de Londres. Isso significa que cada 100 pessoas infectadas transmitem o vírus para outras 91. Na última semana de junho, essa taxa era de 0,98.

Esta é a segunda semana consecutiva que o dado permanece abaixo de 1. Segundo os epidemiologistas, os surtos começam a ser controlados quando a taxa de transmissão fica por pelo menos duas semanas seguidas neste patamar.

Simbolizado por Rt, o “ritmo de contágio” é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança.

A taxa divulgada nesta terça-feira (6) também é a menor no País em sete semanas: em 15 de maio, a taxa era de 0,91.

O Sul


Nenhum comentário:

Postar um comentário