terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Nebulosidade prejudica visualização do eclipse solar em Porto Alegre

 Fenômeno pode ser visto parcialmente no Sul do Brasil na tarde desta segunda-feira


A população de Porto Alegre presenciou, na tarde desta segunda-feira, o eclipse solar parcial – enquanto o fenômeno foi visto de forma integral do Chile e da Argentina por cerca de dois minutos. O céu nublado tambémprejudicou a experiência do anoitecer atípico. No Brasil, a região Sul foi a mais privilegiada com 67% da visibilidade do fenômeno. No Sudeste, essa porcentagem é de 27%.

O fenômeno que faz o dia se transformar em noite por alguns minutos ocorre quando a Lua se interpõe entre o Sol e a Terra. "Como a Terra gira ao redor do Sol num plano, supondo que o Sol esteja no centro da face superior de uma mesa, a Terra se move em torno do Sol no nível desta superfície. Ao mesmo tempo, a Lua gira em torno da Terra, mas o plano de órbita lunar é inclinado um pouco mais de 5º em relação à face da mesa e geralmente a Lua passa acima ou abaixo do Sol. Mas quando a Lua cruza o plano da órbita da Terra, entre o Sol e o nosso planeta, e todos ficam alinhados, ocorre um eclipse solar", explica Paulo Sergio Bretones, professor do Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Em Canela, na Serra gaúcha, o eclipse solar teve melhor visibilidade devido a poucas nuvens no céu. O fenômeno foi visto pelos moradores da cidade por volta das 14h desta segunda-feira.

 Foto: Halder Ramos / Correspondente / CP

Mesmo com a possibilidade de acompanhar transmissões por sites e redes sociais, parte da população aproveitou a experiência deste momento olhando para o céu. Para observar o fenômeno em segurança, foi preciso utilizar um vidro de máscara de solda de no mínimo número 12. Olhar para o Sol sem proteção adequada causa uma queimadura irreversível na retina, e consequentemente, uma mancha preta permanente na visão. 



Agência Estado e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário