terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Em discurso, Biden comemora vitória em Colégio Eleitoral e prega união do país

 Presidente eleito dos EUA afirmou que Donald Trump "se recusa a respeitar a vontade do povo"



O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, comemorou a confirmação nesta segunda-feira, 14, pelo Colégio Eleitoral de sua vitória nas eleições de novembro. "A chama da democracia foi acesa nessa nação há muito tempo. E agora sabemos que nada, nem uma pandemia ou abuso de poder, pode apagar essa chama", afirmou, em discurso televisionado há pouco.

O democrata ressaltou que, durante o processo, a confiança da população nas instituições democráticas se manteve intacta, bem como a integridade do pleito. "Agora, é hora de virar a página. Para unir. Para curar", comentou, acrescentando que pretende governar para todos os americanos, inclusive os que votaram no presidente Donald Trump.

Biden destacou "o trabalho urgente" à frente de controlar a pandemia e vacinar as pessoas contra o coronavírus. Também ressaltou a necessidade de garantir "ajuda econômica imediata" para os americanos mais afetados pela crise. "Hoje, nossa nação ultrapassou uma marca sombria: 300 mil mortes por coronavírus. Meu coração está com todos que perderam alguém", declarou.

O presidente eleito criticou a batalha jurídica de Trump para reverter o resultado das eleições e classificou de "espantoso" o apoio de congressistas republicanos a uma ação judicial iniciada pelo Texas. "Felizmente, uma Suprema Corte unânime rejeitou esses esforços", comentou o ex-vice-presidente, que disse ainda que "a democracia e o Estado de Direito prevaleceram".

"Trump se recusou a respeitar a vontade do povo"

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, fez nesta segunda-feira (14) sua maior crítica a Donald Trump desde as eleições de novembro, ao afirmar que o presidente republicano desafiou a Constituição e "a vontade do povo" com sua insistência em não reconhecer os resultados eleitorais.

"É uma posição tão extrema, que nunca haviamos visto. Uma posição que se recusou a respeitar a vontade do povo, a respeitar o Estado de Direito e a honrar a nossa Constituição", disse Biden em discurso após ter sua vitória confirmada pelo Colégio Eleitoral.


Agência Estado, AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário