sexta-feira, 20 de novembro de 2020

MOMENTO DE FARTURA

 



FARTA TUDO

O Brasil vive, neste momento, motivado por uma forte demanda, um período de FARTURA EXCESSIVA DE INSUMOS, que se faz presente em vários segmentos da indústria. Digo FARTURA porque -FARTA- muita coisa como, por exemplo, peças para motos e automóveis, garrafas para envasar vinhos, embalagens para cerveja, componentes para vestuário, insumos para móveis, e por aí vai...

PESQUISA DA FGV

Segundo pesquisa divulgada recentemente pela FGV a falta de insumos no país atingiu em outubro os maiores níveis desde 2001 em 14 dos 19 segmentos da indústria. No setor VESTUÁRIO, 74,7% das empresas reportaram FALTA de insumos e componentes; no setor PLÁSTICO, 52,8%; no de LIMPEZA E PERFUMARIA, 39,1%; na INDÚSTRIA FARMACEUTICA, (34,2%); INFORMÁTICA E ELETRÔNICOS, 33,1%; METALURGIA, 31%; COURO E CALÇADOS, 31,1%; QUÍMICO, 27,9%; etc...

MALDITO LOCKDOWN

Na avaliação da CNI, essa -FARTURA-, ou FALTA DE INSUMOS, aconteceu em função do MALDITO LOCKDOWN. No início, como se sabe, a DEMANDA, por conta da PARALISAÇÃO, foi fortemente afetada e, como consequência, o FATURAMENTO das empresas foi praticamente a zero. Diante daquele quadro DANTESCO E IRRESPONSÁVEL, quase todos os fornecedores de insumos e matérias-primas ficaram sem ação, sem perspectivas e/ou sem saber o que fazer. 


ESCASSEZ E AUMENTO DE PREÇOS

Ora, como as CADEIAS PRODUTIVAS foram OBRIGADAS a permanecer, por muito tempo, em modo -PARADO- e os produtores e fornecedores de INSUMOS estavam com ESTOQUES reduzidos, tão logo iniciou a RETOMADA ECONÔMICA, a DEMANDA REPRIMIDA se encontrou com a inevitável ESCASSEZ provocando um mais do que evidente e esperado AUMENTO DOS PREÇOS DOS INSUMOS. Some-se aí o componente da VARIAÇÃO CAMBIAL, em torno de 40%, que provocou um forte  aumento de preços dos insumos importados.

INFLAÇÃO DE DEMANDA

Antes de se deixar levar pelas más informações da mídia, entendam que a atual INFLAÇÃO de preços de produtos e serviços tem como grande responsável o DESEQUILÍBRIO entre OFERTA E DEMANDA. Observem, o propósito,  a pesquisa mostra que 82% das empresas perceberam um crescimento nos preços no terceiro trimestre de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado.


ACOMODAÇÃO DE PREÇOS

Segundo informa a CNI, a expectativa é que vai existir uma determinada ACOMODAÇÃO DOS PREÇOS DOS INSUMOS, na medida em que a DEMANDA FOR MELHOR ATENDIDA. Ainda assim, na avaliação das indústrias esse problema não vai ser resolvido tão cedo. Mais da metade (55%) acredita que a situação só vai se normalizar em 2021. Essa expectativa mais longa é concentrada nos setores de papel e celulose, têxteis, alimentos, extração de minerais não metálicos, produtos de metal e imóveis.



Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário