sexta-feira, 23 de outubro de 2020

ANVISA

 

Eis aí uma oportuna mensagem que me foi enviada hoje pela leitora Mara Montezuma Assaf:


                    


Ontem, o presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra Torres, deu uma longa entrevista à Rádio Bandeirantes, afirmando claramente que eventuais embates políticos que envolvam as vacinas contra covid-19 não interferem no trabalho da  agência, e nem podem interferir. A certificação de uma vacina só pode ser dada após o cumprimento laboratorial de todas as fases do processo. E ele tem responsabilidade com o que faz e também com a imagem de probidade que construiu em sua carreira atraves da vida.


 


Assim, não adianta a mídia afirmar que Bolsonaro vai meter a mão na Anvisa por capricho, pois não depende dele apressar esse processo natural, isso é pura ilação maldosa. E me admira os governadores estarem fazendo um conluio contra a decisão de Bolsonaro, para contratarem a compra de 46 milhões de doses  da vacina chinesa, sem a garantia de que seja segura, isto me cheira a uma grande trama onerosa que vai entupir de dinheiro os bolsos de muita gente. E colocar em risco a vida de milhões de brasileiros. A vacina eficaz que ficar pronta primeiro é a que vai ser liberada para uso dos brasileiros, com certeza.



VACINAÇÃO CONTRA PARALISIA INFANTIL



Pais ou responsáveis devem procurar as unidades de saúde durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação, que vai até o dia 30 de outubro. A ideia é imunizar crianças de 12 meses a menores de 5 anos com uma dose extra das gotinhas e atualizar a caderneta de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. A meta da campanha é vacinar 61.784 crianças contra a poliomielite, 95% do total de 65.036 crianças de 12 meses a menores de 5 anos na Capital. 


No sábado, 17, Dia D de vacinação, foram imunizadas 6.977 crianças com as gotinhas em Porto Alegre, de acordo com o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (Sipni). Com relação à atualização da caderneta, foram aplicadas 9.855 doses das demais vacinas, conforme dados do E-SUS. Os números são parciais e sujeitos à revisão.


Apesar do grande movimento nas unidades de saúde no Dia D, a cobertura ainda está abaixo do esperado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Por isso, é muito importante que pais ou responsáveis procurem os locais de vacinação até 30 de outubro para garantir a imunização.


Com a multivacinação, o objetivo é garantir a proteção contra diversas doenças imunopreveníveis e melhorar as coberturas vacinais. Estão disponíveis doses do Calendário Nacional de Vacinação, de acordo com a idade e situação vacinal. 


Vacinação para crianças - Hepatite B; Poliomielite 1, 2, 3; Poliomielite 1 e 3; Rotavírus humano G1P1; DTP+Hib+HB; Pneumocócica 10 valente; Meningocócica C; Febre Amarela; Sarampo, Caxumba e Rubéola; Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela; Hepatite A; BCG; Difteria, Tétano, Pertussis; Difteria, Tétano; Papilomavírus humano; Varicela; Pneumocócica 23-valente, indicada para população indígena a partir dos 5 anos de idade. A vacina BCG é aplicada nas maternidades e em unidades de saúde de referência.


Vacinação para adolescentes - Hepatite B; Difteria, Tétano; Febre Amarela; Sarampo, Caxumba e Rubéola; Papilomavírus humano; Meningocócica ACWY; Pneumocócica 23-valente, indicada para população indígena.


Em Porto Alegre, as unidades de saúde da Atenção Primária estão engajadas na campanha. Consulte o link https://prefeitura.poa.br/carta-de-servicos/atencao-primaria-saude-unidades-de-saude e confira a lista de postos de saúde.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário