terça-feira, 14 de julho de 2020

Movimento de pessoas diminui no Centro de Porto Alegre

Quem circulava pela região usava máscara nesta terça

Fluxo de pessoas reduziu no Centro de Porto Alegre

A adoção das medidas de restrição realizadas pela prefeitura estão começando a surtir efeito em Porto Alegre. A manhã de terça-feira foi totalmente atípica em quatro pontos do Centro Histórico que tradicionalmente tem como característica o grande fluxo de pessoas. Tanto as ruas dos Andradas e Voluntários da Pátria quanto as avenidas Borges de Medeiros e Salgado Filho apresentaram diminuição na circulação de usuários, sem registro de aglomerações. O ponto positivo é que a maioria das pessoas que circulava pela região estava usando máscara. Além disso, existe um respeito às marcações de distância, que varia entre 1 e 2 metros, nas calçadas existentes em frente aos bancos, lotéricas e farmácias, que têm autorização para funcionar.
Na rua dos Andradas, uma das mais tradicionais vias de comércio da cidade, um dos problemas segue sendo a presença de ambulantes, no trecho entre as ruas Uruguai e Marechal Floriano. O prefeito Nelson Marchezan Júnior afirmou que não existe outra medida em termos de populacionais de massa que não seja adoção de medidas de distanciamento social. "Decidir sobre restrições é muito difícil. Não tem decisão certa. Tem aquelas que são necessárias e indispensáveis e neste momento o distanciamento social é a saída" ressaltou.
No dia 16 de junho, há quase um mês, as grande lojas do Centro fecharam, em função do decreto municipal. Redes como a Renner, Gaston, Paquetá, Americanas, Casas Maria, Marisa, Riachuelo, C&A, Pernambucanas, Magazine Luiza e Lojas Colombo seguem fechadas. As únicas que recebem clientes, exclusivamente para o pagamento de faturas são Magazine Luiza e Colombo. Nas filias da rua Doutor Flores, o acesso dos clientes somente é permitido para o pagamento de faturas e contas de água, energia, IPTU, internet e telefone, no caso das Lojas Colombo. Mesmo assim a entrada nos estabelecimentos comerciais é de no máximo três pessoas e com máscara.
No cruzamento das ruas dos Andradas e Vigário José Inácio, o técnico em contabilidade Érico Dias Vaccari disse que percebeu uma diminuição na circulação de pessoas. "Parece que quem anda no Centro é realmente quem precisa trabalhar", ressaltou. Já a rua Voluntários da Pátria, que era um dos locais que chamava a atenção pelas aglomerações, principalmente entre a Praça Parobé, ao lado Mercado Público,e a rua Doutor Flores, no dia de ontem registrava pouco movimento.
Neste trecho, ambulantes sem máscara dominam a região e oferecem seus produtos. Mesma situação acontece no Largo Glênio Peres, onde são comercializadas frutas e verduras, sem a utilização de máscara. Outro ponto de concentração de pessoas é no entorno do Centro Popular de Compras, o POP Center, tanto de ambulantes quanto de pessoas que vão em direção aos terminais dos ônibus de Viamão, Guaíba e Gravataí.
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário