sexta-feira, 24 de julho de 2020

Maia defende PEC para organizar atuação de militar da ativa no governo

Para o presidente da Câmara, é prudente esperar para discutir a proposta, já que no momento "muitos militares exercem função de ministro"

Maia quer regulamentar presença de militares no governo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) , disse nesta quinta-feira, 23, acreditar que no futuro será necessário aprovar uma Proposta de Emenda à Constituição para organizar a participação de militares no Poder Executivo.
"Essa questão de militares na ativa estarem no Poder Executivo em funções gratificadas isso a gente vai ter que organizar melhor no futuro. Quem quiser vir no futuro para o governo, vem, mas vai precisar, sem dúvidas nenhuma, caminhar automaticamente para a reserva", afirmou o parlamentar, em entrevista à revista Época.
Desde o início do governo Jair Bolsonaro , o número de militares que ocupam cargos civis no governo federal mais do que dobrou, de acordo com um levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) . Segundo relatório divulgado dia 17, a quantidade de militares – tanto da ativa quanto da reserva – passou de 2.765, em 2018, para 6.157, em 2020.
Segundo Maia, como muitos miltares exercem função de ministro, é mais prudente esperar para fazer a discussão sobre a PEC.

"É bom que a gente construa. Não para agora, para não parecer que é contra o ministro A ou ministro B, ou assessor A ou assessor B, mas um pouquinho mais na frente acho que a gente vai ter que aprovar uma PEC para que quem vier para o mundo civil não possa estar na ativa. Não é bom. Não é bom para as Forças Armadas, não é bom para o Brasil."

Agência Estado e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário